Venda as autarquias, governador!

Postado por: Dilerman Zanchet

Compartilhe
Prezado governador do Estado do Rio Grande do Sul!

O Rio Grande do Sul é um estado falido. Isso se deve às más administrações que, por décadas, levaram um dos estados mais produtivos deste país continental à bancarrota. Gastaram a rodo toda a produção per capita. Gastaram muito mais do que arrecadavam. Empregaram muito mais do que podiam. Criaram empresas (autarquias) que atualmente não dizem para que servem. Aliás, dizem, sim. Quando chega a hora de rodar a folha de pagamentos da Secretaria da Fazenda.

Diante disso, sugiro (quantos já o fizeram?) ao ilustre governador que pense nas seguintes alternativas:

  1. Nosso Estado não mais abre estradas. Não mais conserta ou tapa buracos. Então, nobre governador, venda, feche, encerre as atividades do DAER. Hoje é um departamento inútil. Não tem maquinário, não tem gente para trabalhar e os que tem estão se aposentando ou fugindo de qualquer tipo de trabalho, exceto alguns novatos que ainda querem mostrar serviço. Vai economizar aí alguns milhões de reais em alguns polpudos salários.

  2. Não precisamos mais da tal CEEE. Existem outras alternativas em outras empresas, privadas, que fornecem energia elétrica a custo muito mais baixo que essa estatal. Uma varredura recente apontou salários de mais de 80 mil reais. Então, governador, por favor, dá um jeito nisso pelo que o povo gaúcho espera de sua administração.

  3. A CESA não precisa mais existir – isso parece ser ponto comum entre os gaúchos e sua opinião. Então, nobre governador, dá um jeito nisso com urgência.

  4. Repense a situação da Emater. Já não temos tantos pequenos agricultores necessitando de tanta assistência técnica. Não é o caso de extinguir, mas de reduzir o quadro e a estrutura.

  5. CORAG não é mais necessário. Terceirize o trabalho e feche esta estatal. Não tem motivos para mantê-la.

  6. TV Educativa também não é mais necessária. Sua audiência, com certeza, não atrai nem seu quadro de colaboradores na cozinha do Piratini. Mande buscarem empregos nas emissoras de TV e Rádio privadas. Com certeza os bons profissionais conseguirão boas colocações.

  7. Combine com a base aliada na Assembleia – este é um dos itens mais importantes, para que um envie projeto à Mesa Diretora extinguindo a absurda quantidade de assessores que cada deputado tem. Que fiquem com dois, no máximo três por gabinete. Reduzam também os valores das diárias e terminem com a cota de combustível e outras artimanhas legislativas para assaltar os cofres do Estado.

Todas estas medidas, nobre governador, e mais algumas que sua inteligência e perspicácia encontrarão, farão com que em breve tenhamos de volta o nosso Rio Grande do Sul no lugar onde jamais deveriam ter retirado.

Há, ia esquecendo. Coloque os plebiscitos necessários em pauta para breve. Vamos apoiar a extinção destes cabides de empregos e com isso estaremos valorizando os funcionários públicos que realmente merecem.


Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito