Libertadores e uma nova América em busca de títulos

Postado por: Luiz Carlos Carvalho

Compartilhe
Olá, amigos internautas!

O Brasil ficou longos anos sem conquistar o título da Taça Libertadores da América a partir da conquista do Grêmio em 1983. O jejum apenas foi finalizado em 1992, com o São Paulo sendo o campeão e começando uma era de conquistas, que depois prosseguiu com Palmeiras, Vasco, Cruzeiro, Santos, Internacional, Corinthians e Atlético Mineiro. Porém, está cada vez mais difícil manter a supremacia.

A Argentina ficou muito tempo sem ganhar a disputa de clubes do continente com o River Plate, cujo último título foi alcançado em 1996. O Boca Juniors e o San Lorenzo conseguiram recuperar o poder do vizinho país. O Uruguai ficou perdido no passado, com a perda de força de Nacional e Peñarol, apenas abreviado por um vice-campeonato diante do Santos. O Paraguai tem chegado próximo com Olímpia, Libertad e Guaraní, mas ainda sem descobrir o caminho da conquista. É o mesmo caso da Colômbia, que já chegou à consagração, mas em um período distante. O Chile tem força de seleção, ganhando a última Copa América, mas seus clubes não conseguem se destacar.

Agora se tem um novo obstáculo: o futebol do México, que recebeu convite para participar e começa a se destacar. Chegou à final com o Chivas, diante do Internacional em 2010, e agora tem o Tigres na decisão, eliminando o mesmo colorado. Os mexicanos passaram de fãs do futebol brasileiro, a partir do tricampeonato de 1970, a detentores de clubes organizados e com grandes investimentos. O público está sempre demonstrando a sua paixão, lotando os estúdios. É um novo mercado que se abre com destaque.

A Taça Libertadores da América ainda precisa ser repensada. Os convites são feitos para equipes do outro lado da América, com os clubes do México, porém sem a chance de disputa da final em casa e sem vaga no Mundial de Clubes. Vem uma pergunta: qual a razão de estarem presentes os mexicanos e não os norte-americanos? Os Estados Unidos estão com um futebol cada vez mais forte, com muito dinheiro envolvido, e contratando grandes jogadores. Com isso, seus estádios são lotados.

Se tem sobretudo que a Libertadores não é mais exclusiva da América do Sul. Os clubes do México têm a possibilidade de jogar a Liga da Concacaf e ainda a disputa com os clubes sul-americanos. As razões? bem, interesses políticos e econômicos, certamente.

Até a próxima. Sejam felizes, vocês merecem!

Leia Também O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito Transporte coletivo entre boatos e incertezas