A morte das mulheres parece animar muita gente

Postado por: Neuro Zambam

Compartilhe
A nossa região está complicada por inúmeras situações que demandam ações, reflexão, envolvimento e outras iniciativas que, quem sabe, possam estar escondidas nas mentes, nos arquivos ou nas anotações de muitas pessoas, especialmente líderes de expressão.

Quando as pessoas apelam para a violência contra aquelas de menor poder de defesa, seja pela força física, influência ou outro recurso que as tornem superiores e lhe deem condições de diminuir ou aniquilar o outro, algo muito grave está acontecendo.

Seria novidade a violência contra a mulher?

Não, a humanidade tradicionalmente está envolvida com situações dessa natureza.

O acesso ao trabalho, à educação e à informação são as armas modernas e mais eficientes para combater situações dessa natureza.

Porém, tivemos avanços na legislação com a aprovação e efetivação da Lei Maria da Penha. Mas isso demonstra suas limitações e impotência ante as denúncias ainda tão graves.

Pasme que na IV Conferência Municipal de Políticas para Mulheres de Passo Fundo foi evidenciada a grave situação da violência contra o sexo feminino no campo. No mesmo final de semana uma mulher é “degolada” em Sertão, a prisão do homem que matou a companheira em um bairro da cidade e a entrevista da vítima de São Leopoldo falando em perdão ao autor da violência.

Tem muita coisa errada nesse ambiente.

Especialmente porque a quase totalidade dos casos ocorre no âmbito familiar. É na família que ocorrem as relações primárias, íntimas e se educa para o respeito e o relacionamento com os outros.

Como uma pessoa pode ter força para educar se é vítima da má educação de quem está ao seu lado como companheiro e com quem partilha os sentimentos mais íntimos e as emoções mais sagradas?

Quando nos deparamos com situações dessa natureza nos vemos impotentes. Entretanto, não podemos desanimar.

Pelo menos que os jovens cuidem se estão casando com uma pessoa que tem sinais de gostar da violência e da dominação ou se tem sinas de patologias que podem ser tratadas.

Procuremos prevenir situações desagradáveis e degradantes.



Leia Também O que devo fazer para modificar ou ampliar a minha atividade já licenciada? Lendas, histórias e estórias A amizade é algo humano e divino! Esquerda e direita – saudades e compromisso