O ser humano e a sociedade

Postado por: Israel Kujawa

Compartilhe
Um dos limites para a evolução pacífica e esclarecida da vida social é a falta de mediação e diálogo respeitoso entre saberes humanos. Muitas ciências, teorias e visões se fecharam em sim mesmas, ao ponto de estarem separadas e não se relacionarem com o ser humano. Em qual visão de ser humano e de sociedade você acredita?

O cientificismo influenciou o comportamento humano, contribuindo para o desenvolvimento de uma cultura individualista, mecanizada e insensível. Este modelo cientificista, que se mantem na atualidade, é uma herança iluminista e atribui ao ser humano uma condição de corpo, com comportamento mecânico, a exemplo de uma máquina. Esta visão situa o homem no centro, apostando em poderes para descobrir a regularidade da sociedade e do universo. Em contraposição a esta perspectiva, na primeira metade do século passado Albert Einstein (1897-1955) desenvolveu uma forma de fazer ciência denominada de teoria da relatividade. Albert Einstein contribui para o surgimento de uma nova forma de perceber a ciência e a vida que se apresenta como uma alternativa para a visão antropocêntrica e iluminista, do início da modernidade. Esta visão contribui para o desenvolvimento da física quântica, da eletromecânica (da comunicação, do controle remoto), bem como para uma nova forma de compreender o ser humano, a sociedade e o universo.

A teoria da relatividade contribui para o surgimento de visões mais abertas, com espaços para a incerteza, para o diálogo entre saberes, que aproximam os seres humanos entre si e com o universo. Conhecer e interpretar novas formas de ver o ser humano e a sociedade, é de grande relevância para entender e mudar situações sociais indesejáveis.


Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”