Ginásio Capingui: o palco de três decisões de Série Ouro

Postado por: Luiz Carlos Carvalho

Compartilhe
Olá, amigos internautas!

O futsal de Passo Fundo está voltando ao ginásio de esportes do Capingui, o que representa a perspectiva de casa cheia nos jogos da Série Prata no ano de 2016.  A assinatura do contrato entre a direção da agremiação e o clube que detém a propriedade do local ocorreu na última sexta-feira, 25.

Excelentes são as perspectivas, tanto para o Clube Náutico Capingui como para o Passo Fundo Futsal.  Trata-se de um ponto central e que respira futsal, sendo palco de três decisões de Série Ouro (1999, 2000 e 2003). Várias reformas terão que ser implementadas, atendendo às condições de conforto das equipes, dos torcedores e da crônica esportiva, o que também vai representar o envolvimento da comunidade. São novos tempos, é bem verdade. Naquele período era possível a utilização das ruas próximas para estacionamento, o que atualmente se torna difícil em função da mudança de sentido e semáforo instalado, em função dos acidentes.  Tudo será colocado em prática, no momento oportuno.

Dentro do contexto, estaremos realizando a recuperação neste blog nos próximos dias de grandes momentos do Ginásio Capingui em relação ao futsal, com jogos inesquecíveis, fotos e depoimentos.  Não se pode valorizar todo o grupo de trabalho de 2015, com poucos recursos e dedicação permanente dos dirigentes, jogadores e comissão técnica do Passo Fundo Futsal/Fasurgs para manter a vaga.  Todos deram a sua parcela de contribuição para que no próximo ano novos passos pudessem ser dados. Também tem que ser valorizada a presença dos bons torcedores, que nunca deixaram de apoiar, mesmo quando os resultados positivos não chegavam.

AS TRÊS DECISÕES
Quando se coloca em destaque o sonho da alegria do futsal, é impossível não lembrar de três finais em que a equipe de Passo Fundo esteve presente e a alegria do título acabou adiada.  Bateu na trave.  Mesmo assim, foram três temporadas que trouxeram muito orgulho para a torcida local, pela qualidade do elenco.

Em 1999, a derrota foi para a ACBF, de Choco. Em Passo Fundo, uma grande disputa de 7x7. Em Carlos Barbosa, a derrota por 4x0, com calor de quase 40ºC ao meio-dia.

Em 2000, a derrota mais sentida. Depois do empate de 2x2 no Gigantinho, o Capingui acreditou até o fim na conquista, mas houve uma derrota inesperada de 3x2 para o Internacional. Poucos resistiram sem chorar. Ficou na memória o tiro livre cobrado por Maurinho e defendido pelo goleiro Ivan nos instantes finais. Era a oportunidade de se provocar pelo menos o terceiro confronto.

Em 2003, então com a Ulbra Saúde, a equipe foi crescendo dentro da competição e atingiu a final. Não foi possível segurar o poderoso time da Ulbra, que venceu em Passo Fundo (8x6) e também em Canoas (4x0). Na época, méritos para os meninos da cidade e um grande artilheiro: Rafael.

Grandes memórias. Vamos publicar vários momentos marcantes ao longo dos próximos dias. Acompanhe!

Sejam felizes, vocês merecem!!!

Leia Também Vamos nos desafiar?! Quais os verdadeiros objetivos da Intervenção Federal no Rio de Janeiro? Fuscão amarelo Somos desiguais – “Vós sois irmãos”