Memórias do futsal: Ginásio Capingui foi o palco de grandes artilheiros

Postado por: Luiz Carlos Carvalho

Compartilhe
Olá, amigos internautas!

Continuamos com o resgate do futsal de Passo Fundo, que está contando os meses para a volta ao Ginásio Capingui, para grandes disputas na Série Prata em 2016.

No texto anterior, destacamos a performance de Rafael, artilheiro do Estadual em 2003, assim como destacamos os gols de Matheo, que conduziram a equipe da capital do Planalto Médio para a Série Ouro, e nela continuaram, garantindo as comemorações dos torcedores.  Nessa oportunidade, lembramos de outros grandes mestres da finalização.

Se Matheo conquistou a plateia e era o ídolo da garotada, Rafael foi o jogador da velocidade e da capacidade de giro para finalizar, sendo muito difícil de conseguir marcar, não há como não recordar de Messinho, um jogador de referência.  Faleceu jovem, aos 37 anos, e fazendo o que tanto gostava: jogar futsal. Com boa imposição física, sabia proteger muito bem a bola e, quando girava, o goleiro adversário tinha muitas dificuldades para conter a finalização. Messinho foi um exemplo de atleta carismático, que sempre encontrou um tempo para atender à plateia na beira da quadra. Soube ser ídolo.

Não há como não lembrar de Lorenzo, que em tantas noites de sábado levantou a torcida passo-fundense. Era um jogador que tinha muitas habilidades e tinha o faro do gol. Foi um dos principais responsáveis por conduzir a equipe da UPF para a decisão da Série Ouro em 2000. Já na semifinal, diante da ACBF, em Carlos Barbosa, foi autor de um dos gols, enquanto Clóvis marcou o segundo, estabelecendo o empate que servia por 2x2.
Na decisão, contra o Internacional, mostrou que estava em grande fase. Foi Lorenzo que inaugurar o placar no Ginásio Capingui, porém, no final a agremiação não conseguiu segurar o colorado, que terminou vencedor por 3x2.

E quando o assunto é artilharia não se pode esquecer de Arno. Foi um brilhante jogador da trajetória passo-fundense.  Ele dificilmente passava em branco, balançando as redes adversárias. Quando estava difícil encarar os adversários, lá vinham os seus gols para decidir.  Nos clássicos regionais era especialista em decidir.  Foi assim, por exemplo, no clássico contra a Sercesa no inesquecível jogo sem policiamento no Ginásio da Acapesu, em Carazinho (policiais estavam paralisados). Vitória da UPF por 7x6 e gol consagrador de Arno. Era difícil muito difícil de ser parado. Era, de fato, um grande artilheiro.

Feliz de quem teve a honra de contar com tantos goleadores. Que venham outros para bem sucedê-los na nova fase do Ginásio Capingui.

Até a próxima. Sejam felizes, vocês merecem!!!



--
Nesta foto, estão três dos artilheiros que marcaram época do futsal passo-fundense: Arno, Messinho e Matheo.

Leia Também A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais” Passo Fundo Futsal/Fasurgs/Zamil: uma grande equipe nos representou em 2017 A Taça Maldita!