Menos emoção - mais atenção e política

Postado por: Neuro Zambam

Compartilhe
O drama dos refugiados, migrantes e imigrantes parece não ter fim.

Primeiro, os homens e mulheres sempre se movimentaram de um lugar para outro por inúmeros motivos (guerras, trabalho, etc). Segundo, a situação atual é inusitada, porque muitos estão saindo sem rumo e não há lugar para todos. Isso é dramático para a humanidade.

O que os estamos fazendo com nossa 'casa comum'?.

Precisamos perceber que são os países com ditaduras perversas, pobreza aviltante e outros não integrados ou beneficiados pela globalização, que '‘fornecem’' o maior número de pessoas que se arrastam pelo mundo.

Já disse Pikety que o maior drama do Século XXI é a distribuição da riqueza (consultar o livro: O capital no Século XXI).

Então, mais do que a emoção de vermos nossos semelhantes sendo arrastados pelo mundo, seja junto com o lixo – como é o caso do menino Sírio que chegou morto à praia, ou inúmeros outros dos quais não são notícias, caem no esquecimento ou mesmo desaparecem no fundo do mar – faz-se necessária uma atuação mais efetiva e corajosa em nível internacional.

Fala-se que em torno de 30% da comida é mal aproveitada, sobra em mesas descuidadas ou desaparece nos demais desperdícios. O problema não é de mobilidade, mas de coragem e superação do individualismo.


Leia Também A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais” Passo Fundo Futsal/Fasurgs/Zamil: uma grande equipe nos representou em 2017 A Taça Maldita!