As relações entre matéria e energia no comportamento humano

Postado por: Israel Kujawa

Compartilhe
Rene Descartes (1596-1650) é um dos primeiro e mais influentes pensadores da modernidade. Suas obras contribuíram para a transição da época medieval para a época moderna e influenciaram de forma marcante comportamento do humano. Entre suas ideias mais influentes está a noção de separação entre corpo e mente.


Esta compreensão de Descartes se transformou em uma separação entre razão e emoção e consolidou como método (cartesiano) de explicação para a realidade e para o comportamento humano. O método cartesiano ou a racionalidade cartesiana se legitimou como uma forma de comportamento exemplar e digna de elogios inquestionáveis. Ocorre que recentes descobertas da física, da química, da biologia e da psicologia comprovam exatamente o contrário da noção cartesiana, demonstrando que o ser humano é um todo integrado.


Corpo, a mente, a linguagem, as emoções, a matéria e a energia estão relacionadas. Os processos físicos não estão dissociados de processos mentais. Em outras palavras, o homem é biopsicossocial e espiritual. Qualquer teoria ou conceito que não considere esta compreensão de ser humano é reducionista e não contribui para compreender a complexidade e a singularidade humana.


Sendo assim, a qualidade de nossos pensamentos e sentimentos repercute na qualidade de nossas emoções. Por isto, além da matéria visível, se faz necessário considerar a matéria não visível ou a energia, para termos um bom funcionamento do corpo e um bom funcionamento da mente.







Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”