10% SERIA O LIMITE. Agora. Sabe-se lá…

Postado por: Neuro Zambam

Compartilhe

Durante a semana foi anunciado o índice oficial da inflação do ano passado. Esse atingiu os dois dígitos. A geração mais vivida havia experimentado essa triste realidade em épocas passadas. Tal contexto de conflito e instabilidade parecia longe, porque vínhamos de décadas de recuperação e certa estabilidade política e econômica.

A pequena evolução na correção de algumas formas de desigualdade representou, pelo menos simbolicamente, a capacidade e o potencial do Brasil e dos brasileiros. Na verdade, uma evolução significativa.

Contudo, a retomada galopante da inflação é assustadora para todos os níveis. O “dever de casa” não foi feito em muitas áreas, mas também é verdade que o mundo está instável e os líderes, em sua quase totalidade, são escassos e, em grande parte, incapazes de aglutinar em torno de si propostas, pessoas e instituições.

Esse nível de inflação é demais para o Brasil. Nas vezes em que falei sobre isso afirmei que o país não aguentaria esse número e haveria uma corrente de manifestações populares e da sociedade mais organizada que obrigaria o governo e o mercado solucionarem esse drama em curto espaço de tempo.

O que vemos parece ser uma população calma e sem ânimo para ocupar as ruas e as novas formas de expressão. As instituições parecem cada vez mais tímidas e sem direção.

Ao Brasil faltam líderes que encantam e propostas com crédito. Já não basta revelar a corrupção, necessário é a construção de novos rumos.








Leia Também Contenção de despesas em todas as classes Jaquetas femininas e masculinas inverno 2017 Juiz considera ilegal a cobrança da taxa de saúde suplementar Psicologia Jurídica