Governador, devolva o meu dinheiro! Parte II

Postado por: Dilerman Zanchet

Compartilhe

*Dilerman Zanchet - Jornalista

Há alguns dias escrevi neste espaço, a necessidade de um levante por parte da população gaúcha, acerca dos altos tributos que pagamos para que a máquina pública estadual funcione.

Aliás, para que nós, gaúchos, possamos manter a tal máquina, uma vez que nem para funcionar essa coisa presta.

Presta sim!

Queres saber o que presta na máquina estatal? Alguns exemplos: Estradas ótimas, sem buracos, com perfeita manutenção. Pedágios funcionando com preços irrisórios pelo preço do ticket. O DAER é um órgão que funciona sim!

A máquina da saúde estadual funciona, sim. Vejam que não há filas nos atendimentos ambulatoriais, não temos problemas de falta de leitos, não faltam médicos (nem com o falido programa federal Mais Médicos), temos remédios gratuitos, tratamentos gratuitos, etc. Funciona, sim!

A Segurança Pública, com milhares de militares nas ruas, bem armados, com viaturas de primeira e policiais civis com toda a estrutura necessária para as investigações criminais, funcionam sim! O serviço de perícia funciona, sim!

Por isso, caro Governador, eleito foste (e eu defendi a mudança. Não me omito!) para resolver os problemas do Rio Grande do Sul, está o senhor de parabéns. Isso mesmo. Passou um ano de sua posse e resolveste todas as carências do Estado, como num passe de mágica. Beleza pura. Foi só comprar alguns deputados, como um ex-jogador bem conhecido por parte da população, e aumentaste os impostos e tributos. E resolveste tudo.

A sua coragem, caro Governador, em criar projetos para enxugar a máquina pública, colocando a população à mercê de um trabalho sério, foi sensacional. Veja bem, meu senhor: Pagávamos mais de R$ 1,50 em litro de combustível do que os argentinos, ali ao lado. Agora são mais de R$ 2 reais. Não dá inveja? Vontade de ser argentino, caro Governador.

Sua coragem em resolver as coisas nesses 12 meses passados foi empolgante: As escolas estão com prédios novos, pintados, material de primeira, professores satisfeitos e salas de aula cheias. Parabéns, Governador.

Utopia seria pensar que, ao atravessar o Rio Mampituba pela BR 101, ou o Rio Pelotas pela BR 116, teríamos ciúmes, inveja dos catarinenses. Eles que são explorados pelo neurótico mercado de verão, pagando absurdo por um quilo de carne no litoral, gastam menos que R$ 3,50 por litro de gasolina. Comum. E nós, caro Governador, estamos sustentando essa emperrada, desastrada e incompetente máquina do Estado, pagando R$ 4, o litro da gasolina. Aumentou nossa conta de energia, gás, telefone, internet, água, enfim. De tudo. Mas valeu a pena, pois o senhor resolveu o caos em que se encontrava o Rio Grande.

Parabéns, Governador, por todas estas ações.

Mas, por acaso, se eu estiver sonhando, se tudo o que escrevi for utopia, então, por favor, senhor Governador: Devolva o meu dinheiro. Não quero mais sustentar a máquina falida do Estado.



Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito