O triste futuro da Obesidade Infantil

Postado por: Jureci Machado

Compartilhe

Ao longo das últimas décadas, os hábitos de vida e de alimentação das crianças brasileiras mudaram drasticamente.
 
Dados  divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em parceria com o Ministério da Saúde apontam que uma em cada três crianças de cinco a nove anos está acima do peso. Entre os meninos, 16,6% são obesos, enquanto as meninas somam 11,8%. 

O problema que evidencia esse ganho de peso entre as crianças é que antecipa a maturidade  hormonal, assim como, favorece para ocorrência de doenças crônicas, elevação nos níveis pressóricos, depressão, transtorno alimentar e câncer e entre outros .

É importante encarar que foi-se o tempo de criança gordinha ser sinônimo de saúde e beleza. O excesso de peso é sinal de doença, de problemas futuros e aumento da morbi-mortalidade .

Para tratar o excesso de peso infantil, basta modular os hábitos alimentares da família, incluindo preparações saudáveis na mesa, atividade física e reeducação alimentar.

Fatores importantes para diminuir o ganho de peso: Reduzir o consumo de sal e açúcares, evitar a inclusão de produtos industrializados , estimular o consumo de frutas e verduras além de estimular a ingestão de água.

A conscientização familiar é o primeiro passo para o tratamento .



Leia Também 3º Domingo do Tempo Comum. Que seja feita justiça no caso “Lula” “A verdade vos libertará” (João 8, 32) Absolver é dar um viva à imoralidade