Cuidado

Postado por: Neuro Zambam

Compartilhe
Cuidar, limpar, despoluir, varrer, agradecer, animar, valorizar, sanear e muitos outros verbos serão comuns nos diferentes ambientes da vida das comunidades no período da quaresma, que antecede a Semana Santa.

Neste ano, trata-se de sintonizar nossa fé e energia com outros acontecimentos importantes do mundo e da Igreja. A Encíclica de Francisco, Laudato Sí trouxe uma nova forma de abordar temas que há muitos anos preocupam a atuação do homem em relação à natureza, a sua organização social e, particularmente, ao futuro.

O saneamento básico, tema central da Campanha da Fraternidade 2016, está inserido no conjunto do pensamento do Papa, e agora, à luz da fé cristã, será abordado em todo o Brasil. Cuidar da vida da cidade (ruas, árvores, destino do lixo, esgoto, restos de obras e outros) é obrigação de todos. Contudo, os líderes e administradores precisam ser os empreendedores que dialogam com os cidadãos, as instituições, as associações e outras áreas. Com a mesma intensidade devem apresentar propostas de curto, médio e longo prazos que encantem a população e possam ser executadas de forma planejada e equilibrada.

A Igreja Católica propõe o tema e os critérios para dialogar, assim como um conjunto de propostas que podem ser valorizadas e aproveitadas pelos que têm responsabilidade pública e boa vontade de colaborar com o cuidado da “casa comum”. A Campanha é ecumênica, isto é, diversas Igrejas Cristãs são protagonistas desse evento. Afirma o documento oficial sobre isso: “É uma manifestação de que o diálogo e o testemunho conjunto são possíveis” (p. 5).

Tenhamos como norte de nossa reflexão a certeza de que a criação é obra de Deus. Ele está na sua origem. Porque não cuidamos bem da sua obra? Nesse período histórico ele volta à “carga” e renova seu pedido para que cuidemos bem dela. Somos responsáveis pelo cuidado da casa de todos. Façamos a nossa parte, embora saibamos que é muito pouco. Vamos um pouco mais longe. Nossas obras podem ter alcance maior.



Leia Também A (falta de) leitura e as redes sociais 25º Domingo do Tempo Comum. Escute o que seu coração deseja Mortes no Trânsito: De quem é a responsabilidade?