A importância das pequenas centrais hidrelétricas

Postado por: Juliano Roso

Compartilhe

O desenvolvimento passa obrigatoriamente pela geração de energia elétrica. Segundo previsões do setor, a demanda energética do país cresce, em média, 2,2% ao ano e deve se manter nesse patamar, o que exige investimentos constantes. Nesse sentido cabe ressaltar a vocação do Rio Grande do Sul para a aposta em pequenas centrais hidrelétricas (PCHs). Com centenas de pequenos rios em seu território, o Estado tem hoje 50 usinas de pequeno porte em operação e outros 223 projetos em gestação.

Além de garantir energia limpa e renovável, as PCHs têm outras vantagens, como a criação de empregos, preservação ambiental, segurança de população ribeirinhas (com o controle do nível do rio) e geração de renda. Esse último item faz diferença na economia dos municípios. Um exemplo é a PCH Jararaca, de Veranópolis, que injeta, em média, cerca de R$ 4,2 milhões anuais na economia local a partir do ICMS. Na Assembleia Legislativa coordeno a Frente Parlamentar em Defesa das Pequenas Centrais Hidrelétricas que debate ações para desenvolver ainda mais esse setor em nosso Rio Grande e trazer dividendos para a sociedade gaúcha.


Leia Também William II Elo passado-presente-futuro Sujeito descansado Maneiras de usar o floral nesse verão 2018