A luta pelo asfaltamento da Transbrasiliana

Compartilhe
O trecho de 70 quilômetros entre Passo Fundo e Erechim da BR-153, mais conhecida como Transbrasiliana, é o único dessa rodovia de mais de 4 mil quilômetros que corta o Brasil de Norte a Sul sem asfalto. A pavimentação criaria um importante corredor para escoamento da safra e beneficiaria diretamente diversos municípios da região, como Coxilha, Erebango, Estação, Getúlio Vargas, Ipiranga do Sul, Quatro Irmãos e Sertão.  

O asfaltamento também diminuiria o intenso fluxo de veículos registrado na RS-135, rodovia estadual paralela ao trecho federal de chão batido. Por isso, nesse último final de semana debatemos em Ipiranga do Sul um ações para agilizar a pavimentação dessa estrada.

Além de escoar a produção agrícola, diminuir o trânsito na RS-135, a via levaria desenvolvimento a uma importante região produtora do Estado e reforçaria o eixo Passo Fundo-Erechim como polo rodoviário gaúcho, trazendo dividendos para todas comunidades no seu entorno.

 


Leia Também STJ mantém decisão que afasta IR em uso de software por empresa Esperando demônios Batismo Infinitos acessórios para o Fusca