A luta pelo asfaltamento da Transbrasiliana

Postado por: Juliano Roso

Compartilhe
O trecho de 70 quilômetros entre Passo Fundo e Erechim da BR-153, mais conhecida como Transbrasiliana, é o único dessa rodovia de mais de 4 mil quilômetros que corta o Brasil de Norte a Sul sem asfalto. A pavimentação criaria um importante corredor para escoamento da safra e beneficiaria diretamente diversos municípios da região, como Coxilha, Erebango, Estação, Getúlio Vargas, Ipiranga do Sul, Quatro Irmãos e Sertão.  

O asfaltamento também diminuiria o intenso fluxo de veículos registrado na RS-135, rodovia estadual paralela ao trecho federal de chão batido. Por isso, nesse último final de semana debatemos em Ipiranga do Sul um ações para agilizar a pavimentação dessa estrada.

Além de escoar a produção agrícola, diminuir o trânsito na RS-135, a via levaria desenvolvimento a uma importante região produtora do Estado e reforçaria o eixo Passo Fundo-Erechim como polo rodoviário gaúcho, trazendo dividendos para todas comunidades no seu entorno.

 


Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”