O Homem e o Rio

Postado por: Clovis Oliboni Alves

Compartilhe

O Homem e o Rio

Analisando o homem e o rio,

No ímpeto de suas essências,

Observamos evidências

Capazes de nos fascinar.

O homem assim como o rio,

Nasce com toda a pureza

Em sua alma e coração,

Tal qual seu amigo rio,

Com suas águas cristalinas,

Livre de qualquer poluição.

Ao longo de sua vida,

O homem aprende a colher,

Muitas rosas, mas também espinhos

E assim também é o rio,

Que vai trilhando seu destino,

Por sinuosos caminhos.

Ao final de sua jornada,

O homem presta suas constas

A Deus Pai o soberano,

Semelhante ao final da jornada do rio,

Que deságua suas águas

No majestoso oceano.



Esta breve e singela poesia, nos faz refletir sobre a relação harmoniosa e vital que o homem precisa manter com a natureza de uma forma geral. Fazemos parte do Ecossistema e o desequilíbrio deste, pode comprometer a nossa vida e existência na Terra, basta observarmos o que vem acontecendo nos últimos tempos, onde um pequeno mosquito (Aedes Aegypti), compromete e ameaça a vida humana. Nossa vida depende da qualidade da água, do ar e do equilíbrio ambiental.



Leia Também Façam uma estátua para Renato Um menino de vinte anos! Educação como horizonte A Síria é aqui?