Uma alternativa à falta de habitação

Postado por: Juliano Roso

Compartilhe
A falta de moradias ainda é um drama de milhares de gaúchos. Estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), de 2013, indica que existe no Rio Grande do Sul uma carência de 193 mil unidades habitacionais. A realidade da falta de moradia, ou da habitação em precárias condições, é comum na maioria das cidades do Estado, inclusive em Passo Fundo. Sabedor da carência de programas habitacionais do governo estadual, trabalho com a criação de um projeto que trata especificamente do tema. A matéria prevê que o governo do Estado dê preferência na venda de imóveis de sua propriedade para cooperativas habitacionais. Cooperativas essas que têm como requisito construir casas populares ou de fácil acesso para essa parcela mais carente da população.

A recente sinalização do governo gaúcho em liquidar imóveis e áreas dialoga com esse projeto que privilegia tema tão importante. Somente em Porto Alegre existem cerca de 50 ocupações que travam judicialmente uma batalha pela casa própria. Nesse sentido, se o projeto for aprovado e o Estado priorizar o uso habitacional para os imóveis leiloados poderemos diminuir o índice de deficiência em moradias. Além de impactar na resolução do problema habitacional, a medida ajuda a revitalizar espaços urbanos degradados colaborando para uma cidade mais harmônica e igualitária.

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”