O Brasil é a Venezuela na vacinação da gripe A

Postado por: João Altair da Silva

Compartilhe

Aqui não falta alimentos e papel higiênico nas prateleiras dos supermercados, como ocorre na Venezuela, mas no quesito vacina para a gripe estamos no mesmo patamar.

Embora seja inconcebível que o poder público não tenha vacina para todos os brasileiros, pior é ir até uma empresa privada e não ser atendido. Dizem que temos uma das melhores e mais aperfeiçoadas medicinas do mundo, vivemos na 6ª maior economia do mundo e não temos uma simples vacinas para tratar de uma patrologia, a gripe, que é também é uma das mais antigas da história.

Os hospitais fundados há 100 anos, a maioria foi com o objetivo de atender gripados. Certo que há diversos tipos de gripes, mas até hoje não ter uma vacina disponível para esse fim é a demonstração da verdadeira falta de planejamento. Além disso, são contemplados somente os chamados “grupos de riscos”, crianças, idosos e profissionais da saúde. Em Passo Fundo, investiga-se três mortes com fortes suspeitas de gripes A. Nenhum é da faixa de risco. Um paciente de meia-idade, um presidiário, que não é nenhum idoso e jamais uma criança e uma moça de 19 anos. Existe maior risco, de que as pessoas que estão na idade laboral, que passam o dia no chão de fábrica, no meio de colegas dentro da loja, do escritório, que, obrigatoriamente, todos os dias tem de ir para a parada de ônibus, representar a empresa num local público?

O Brasil fica bancando vacinações para combater o que já foi erradicado, felizmente, que é a paralisia infantil, e não atende a população que está morrendo de gripe.  

Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito