A mobilização estudantil e os reflexos na melhoria da educação

Postado por: Juliano Roso

Compartilhe
Nas últimas semanas, dezenas de escolas estaduais do Rio Grande do Sul estão sendo ocupadas por grupos de estudantes. Em Passo Fundo, a Escola Eulina Braga é palco desse ato de cidadania. Digo cidadania pois a ação protagonizada pelos jovens, que estão acompanhados por pais e professores, fortalece o envolvimento desses alunos com suas instituições de ensino. E essa relação não pode se dar apenas no cumprimento protocolar das regras escolares. Mas também na participação efetiva desses cidadãos pela construção de uma escola de qualidade.

Em Passo Fundo, os desgastes no prédio da Eulina Braga traduzem a situação da educação pública no Estado, que já foi motivo de orgulho dos gaúchos outrora. Deficiência na infraestrutura, má qualidade da merenda escolar e o projeto que privatiza as escolas estaduais comprometem o ensino público no Estado. E então por que motivo os estudantes não podem participar efetivamente dessa mudança? Já que são eles os diretamente interessados na melhora de sua formação. A mobilização, criticada por muitos, deve ser conhecida e acompanhada de perto. A participação dos alunos como atores dessa ação é exemplo para toda sociedade que pode e deve exercer seu papel de cidadão cobrando, fiscalizando e debatendo para um lugar melhor para todos.  


Leia Também William II Elo passado-presente-futuro Sujeito descansado Maneiras de usar o floral nesse verão 2018