O recolhimento que é um lixo

Postado por: Dilerman Zanchet

Compartilhe
Teria, e tenho, muitos assuntos a abordar. Dá quase para fazer um artigo diário, para colocar aqui no site e oferecer um deleite aos leitores - aliás, obrigado por visitares este espaço semanalmente – no entanto, me obrigo a falar do descaso absoluto que está tendo o recolhimento do lixo em Passo Fundo. É tão, ou quase igual, ao caos do trânsito na área urbana. E ao asfaltamento prometido para todas as ruas da cidade, que, pelo visto, não vai acontecer.

O recolhimento de lixo, aqui em Passo Fundo, funciona mais ou menos assim: A Codepas, que é uma autarquia ou uma empresa com ações majoritárias da Prefeitura Municipal, é contratada para efetuar o serviço, que é terceirizado para uma empresa privada. Caminhões detém adesivo da Codepas. Funcionários, ao que consta, são da terceirizada.

E, o pior: nem uma, nem outra fazem o serviço competente.

Não há fiscalização no recolhimento, não tem um horário definido para tal, e não há uma qualidade do serviço prestado. Mas o povo paga a conta. E paga caro.

Os garis passam durante o dia, cerca de duas horas antes do recolhimento, para retirar das lixeiras os sacos e sacolas com todos os tipos de lixo, já que não há classificação – e nem adianta, uma vez que vai tudo para dentro do mesmo caminhão. Amontoado no chão da rua, além de impedir o estacionamento de veículos, ainda fica à mercê da cachorrada, que estoura as sacolas para fuçar o conteúdo.

Bem. Isso não fica por aí. Tem mais: O caminhão passa quase sem parar. Os garis tem que recolher as sacolas amontoadas e jogá-las no caminhão, que as tritura. E, se cair alguma sacola, ou os dejetos daquelas abertas pelos cães, cair novamente na rua, azar do morador.

Ninguém fiscaliza e, por isso, o lixo continua na rua.

Cansei de ver moradores da cidade varrendo suas calçadas, o leito de sua rua, para melhorar o aspecto da cidade. Mas aqui, em Passo Fundo, não adianta.

O Poder público, que deveria se ater à isso, que deveria dar o exemplo, com campanhas de limpeza e conscientização, não consegue cuidar de sua casa, ou seja, não consegue colocar na cabeça dos responsáveis que o recolhimento de lixo da cidade é uma vergonha e precisa ser melhorado.

Por isso, vivemos e, ao que se projeta, vamos continuar a viver em meio à boa vontade de alguns, que não se preocupam tanto quanto afirmam, com o bem estar da população.

E vem eleição, e vai eleição, e só trocam as moscas.



Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito