Fenômeno das Migrações

Postado por: Ari Antônio dos Reis

Compartilhe

Durante a semana que passou a arquidiocese de Passo Fundo organizou várias atividades para demarcar a Semana do Migrante. O dia do migrante será celebrado no próximo dia 25 de junho. A realidade das migrações é constante no mundo. Desde dos primórdios da humanidade este fenômeno acontece motivado por diferentes fatores, mas tendo como base a procura de melhor condição de vida.

O Brasil tem na sua base populacional imigrantes de diferentes nacionalidades. A região de Passo Fundo foi formada por imigrantes que aqui chegaram no século XIX fugindo da fome da Europa. Vê-se que a nossa história tem a marca das migrações.

Os processos migratórios continuam presentes nas diferentes regiões do mundo motivados pelas alterações climáticas, guerras e crises econômicas, dentre outros. Na Europa há uma circulação de 75 milhões de migrantes, na África em torno de 67 milhões, na Ásia 58 milhões na América do Norte (Estados Unidos e Canadá) cerca de 49 milhões e na América Latina 6,5 milhões. Em todos os continentes o percentual é de 260 milhões. A população mundial é de 7 bilhões de pessoas. O número de migrantes não chega a 4 % da população mundial.

No Brasil temos uma população de 2 milhões de imigrantes.  Em relação ao total de 204 milhões de brasileiros chega a 1% da população. Existem mais brasileiros fora do Brasil, em torno de 2,6 milhões do que estrangeiros que aqui chegaram.  

No caso da Europa há uma ferrenha disputa política que envolve as condições de acolhida e cidadania dos migrantes. A dimensão econômica é uma parte do debate, e não tratada de uma forma transparente, visto que a Europa precisa da mão de obra dos migrantes para sustentar sua economia.  Acolher imigrantes vai além de um favor aos que chegam ou uma ação altruísta, mas implica na dinamização da economia que necessita desta força de trabalho e intelectual nos seus processos.     Os casos de xenofobia e nacionalismo extremado, que prejudicam um debate mais aberto, seguem uma visão limitada do fenômeno da migração.  

 Na região de Passo Fundo chegaram recentemente os haitianos, senegaleses, bengalis (Bangladesh) buscando melhores condições de vida e também contribuindo na dinamização da economia da região. Nisto somos desafiados a viver o princípio da acolhida, da integração e compreensão das diferenças como fator de enriquecimento. “A Igreja coloca-se ao lado de todos aqueles que se esforçam por defender o direito de cada pessoa a viver com dignidade, exercendo antes de mais nada o direito a não emigrar a fim de contribuir para o desenvolvimento do país de origem. (Papa Francisco).

Leia Também Ascensão do Senhor Delações, invasões, desocupações e manifestações Não matarás Estamos no auge da sujeira ou no início da limpeza?