Passo Fundo Futsal/Fasurgs/Zamil poderia ter trazido bom resultado de Espumoso

Postado por: Luiz Carlos Carvalho

Compartilhe

Olá, amigos internautas!

Apenas se basear no placar de um jogo pode levar a análises precipitadas, embora a quantidade de bolas na rede demonstre o grau de eficiência das equipes. Assim, podemos considerar que o Passo Fundo Futsal/Fasurgs/Zamil perdeu pela Série Prata por 3x1 para o Guarany, em Espumoso, e o placar acabou exagerado pelo panorama de quadra. Poderia até ter vencido, mas perdeu e por dois gols de diferença. Tudo se decidiu nos instantes finais.

Inicialmente, precisam ser conferidos todos os méritos ao time espumosense, que é o que integrante da competição que mais investiu, pensando fortemente em chegar à Série Ouro. Tem excelentes jogadores, um grande treinador (Jarico) e uma comunidade apaixonada a incentivar. Por sua vez, o representante passo-fundense fez boa partida, teve situações para conseguir um placar melhor, porém, diante de um adversário qualificado não soube aproveitar o melhor momento da partida.

O Passo Fundo Futsal/Fasurgs/Zamil largou na frente, com belo gol de Natan, cedeu empate e poderia ter passado novamente à frente, quando faltando seis minutos para o final ficou com um jogador a mais. Não aproveitou a vantagem numérica e quando estava se esgotando o período de dois minutos levou o gol de contra-ataque. As chances para o empate continuaram, porém faltando um segundo para o encerramento veio o gol da vitória do Guarany, com o excelente Kike. Portanto, 3x1 ficou muito pesado para o panorama do jogo.

Agora é se preparar para buscar a recuperação no sábado contra a Afusca, quando não poderá ser adiada a vitória. Será a primeira apresentação em casa sob o comando do técnico Alexandre Boeira.  O time da capital do Planalto Médio tem qualidades e isso nos traz a confiança para as próximas rodadas. Há que se ter união para vencer o período de maus resultados, além de evitar descuidos momentâneos dentro das partidas, que podem custar caro.

 

GAÚCHO NO PÁREO:  Ganhar da Apafut era o único resultado que serviria no sábado pela Segunda Divisão. O Gaúcho chegou lá, com dois gols de pênalti de Fischer (2x0 sobre a Apafut). Teve outras oportunidades para ampliar e acabou com dois atletas a mais em campo. O importante é que agora a equipe depende apenas de si para se classificar. O ideal é trazer pelo menos um ponto fora de casa contra o Nova Prata na quarta-feira para definir tudo na última rodada em casa contra o já eliminado São Borja.

 Será um grande desafio no próximo compromisso. O Nova Prata vem de uma sequência marcante, com três vitórias seguidas, e lidera com 9 pontos. Gaúcho e Apafut dividem o segundo lugar, com 7 pontos, com vantagem do Periquito pelo saldo de gols. À distância, cabe a torcida por um tropeço, mesmo que pouco provável, do Apafut em São Borja. Enquanto isso, difícil prever o que vai acontecer na outra chave, que depende de definições na área jurídica, com dois clássicos de Bagé adiados.

BRASILEIRÃO EQUILIBRADO: Para quem gosta de dar palpites e considerar que os resultados mais prováveis podem ser evidenciados pela tradição da camiseta, o período não é muito favorável no Campeonato Brasileiro de Futebol em 2016.  A competição está nivelada e, infelizmente, por baixo. Quando eram esperadas duas vitórias em Porto Alegre (Grêmio contra o Vitória e Internacional contra o Botafogo), vieram duas derrotas. Então, chega de “chute”.

A cada jogo, tudo pode acontecer. Se apontar um provável campeão, no momento, é precipitado. Porém, algo parece bem explícito: em termos de elenco, os dois times gaúchos são carentes. As alternativas de banco não garantem o bom desempenho dos atletas titulares. Pode ser o resultado da condição financeira, mas é visível que não houve um bom planejamento para a disputa nacional. Reforços podem chegar muito tarde. É torcer para que no andar da carruagem, as coisas se normalizem!

Até a próxima. Sejam felizes, vocês merecem!

Leia Também O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito Transporte coletivo entre boatos e incertezas