Em quem votar?

Compartilhe

Começa mais um calendário eleitoral. Em pouco mais de 90 dias teremos mais uma eleição. No jargão popular, o voto é o instrumento do eleitor para mudar. O problema é que durante a campanha todos os candidatos são bons, têm boas propostas. Ocorre que, muitos quando assumem se transformam para o mal.

Estamos com a presidente Dilma afastada por denúncia de crime de responsabilidade, presidente Temer dedurado por colocar dinheiro ilícito na campanha de seu candidato a prefeito em São Paulo, presidente da Câmara Eduardo Cunha afastado pela Justiça, presidente interino Maranhão, acusado de desviar R$ 350 milhões da universidade do seu Estado e receber propinas mensais do petrolão e o presidente do Senado Renan Calheiros já teve até prisão solicitada. Se ele for afastado um dia, assume o vice, Jorge Viana. Esse, na última eleição teve seu escritório político no Acre ocupado pela Polícia Federal em busca da lista de eleitores contemplados com dinheiro. A juiza eleitoral, amiga dele e da mulher, foi filmada pela PF saindo do apartamento do político e meia hora depois determinou que os computadores de Viana fossem devolvidos. A magistrada foi afastada pela Corregedoria.

Pensi em dois políticos um de direita e outro de esquerda, para não deixar ninguém descontente, Ronaldo Caiado e Aldo Rebelo. Fui ver as fichas. Rebelo acusado de receber dinheiro de empreiteira que construiu estádios para a última Copa, quando ele era ministro dos Esportes. Caiado responde acusação por ter recebido R$ 1 milhão da UTC e da OAS.

Toda essa gente aí era muito boa, antes de ser eleita.

O problema é que a corrupção parece estar no nosso DNA. Nossos políticos vem desse meio onde o contabilista frauda a Previdência Social em R$ 3 milhões, o advogado se apossa de milhões de reais dos clientes e é preso, o corretor vende a casa que não é dele não paga o dono e também é preso, o médico troca a perna sadia do paciente para receber o dinheiro da prótese em conluio com o fabricante, o agricultor coloca soda no leite, o fabricante de queijo acrescenta mais um pouco de formol para dar vida ao produto e até a água mineral perdeu sua reputação, foi vista com vermes nadando na garrafa.

Ainda bem que no âmbito municipal, os políticos são mais confiáveis. Muitos perdem a vergonha quando se afastam de suas cidades.  

Leia Também História sem fim Ausentes fisicamente, mas presentes na memória! STJ mantém decisão que afasta IR em uso de software por empresa Esperando demônios