Os verdadeiros valores e sentido da vida

Postado por: Clovis Oliboni Alves

Compartilhe

As pessoas levam a vida como ela fosse infinita; como se jamais fossemos morrer um dia, nos esquecendo muitas vezes, de dar a atenção e importância, ao que realmente nos importa e tem valor de fato para nós, como por exemplo: família, verdadeiras amizades e amores, saúde e qualidade de vida em geral. Na maioria das vezes, deixamos de lado as coisas que realmente nos importam, para dedicarmos nosso tempo e dinheiro a coisas fúteis, que não nos trazem uma realização pessoal mais consistente, nos levando a uma vida vazia, sem objetivo e sentido.

Você já se perguntou o quanto você precisa para ser feliz? Certamente não irás obter uma resposta exata neste sentido, pois a maioria das coisas pelas quais damos valor, são na verdade, “incomensuráveis”, impossíveis de serem valoradas. A felicidade de uma pessoa, não está ligada a sua classe social, mas sim, as questões emocionais, afetivas e de cunho psicológico. Pesquisas realizadas com pacientes em estágio terminal de vida, revelaram os seus principais desejos nos últimos momentos de vida, sendo que todos, indistintamente, fizeram pedidos simples, desprovidos de valoração econômica, tais como: ficar junto de seus amigos, familiares, pessoas queridas; contemplar um amanhecer ou um por do sol; passear no parque, brincar com seu animal de estimação e assim por diante... Por incrível que pareça, ninguém ao final de sua vida, desejou ter mais bens ou adquirir mais fortuna. Existem coisas na vida, que o dinheiro não compra, como por exemplo: uma grande amizade; um grande amor; uma família afetiva, respeito e admiração. Estas e outras situações, não se conquistam com dinheiro, mas sim com condutas.

Utilizando-se da mesma linha de raciocínio, vamos avaliar o comportamento e a vida de um ativista político. O que leva uma pessoa a doar-se a uma vida política? O quê realmente tem valor de fato, para um agente político? Nestes casos, o que menos deveria ter importância são as questões materiais e financeiras, pois para um político, o grande valor que deveria ser almejado e conquistado, está na possibilidade de se “imortalizar” por seus atos e feitos, deixando uma marca na história que fosse contada através dos tempos, um legado de orgulho e respeito para as gerações futuras. O que estamos vendo hoje em nossa sociedade e principalmente no meio político é uma verdadeira aberração. Atitudes que demonstram uma falha de caráter, uma inversão de valores que está desmoralizando a classe política e colocando na sarjeta a vida pública de muitos homens e mulheres, que dedicaram uma vida inteira ao serviço público, e, que hoje vêem este trabalho posto na lama de corrupção. Uma verdadeira falta de ética e moral dos agentes políticos, contrariando seus objetivos e compromissos assumidos em campanhas.

De fato, ninguém vive pensando na morte, ou no tempo de vida que ainda nos resta, porém, precisamos viver com mais leveza, com mais alegria e sabedoria, pois a felicidade e sucesso na vida, é uma arte que poucos conseguem desenvolver, na maioria das vezes, as pessoas vivem com muito stress, correria, depressão, dívidas impagáveis pelo acúmulo de bens materiais, falta de tempo para os amigos, familiares e para si próprio. “Viva a vida de maneira simples e plena, saboreando cada momento e cada pessoa de seus vínculos, como se fosse uma despedida. Viva o hoje, pois o amanhã, só o destino dirá”.

 

Leia Também STJ julga inclusão do crédito presumido de IPI no IRPJ Psicologia Educacional Investimento Externo: Não adianta querer igualar as condições de vida dos países sem igualar as medidas que levaram países desenvolvidos ao sucesso (a quinta lição) Em outubro, União transferiu R$ 873 milhões de complementação ao FUNDEB