A importância de um Banrisul público e dos gaúchos

Postado por: Juliano Roso

Compartilhe

Em um período de ataque aos direitos dos servidores e sucateamento da estrutura do Estado vivenciada pelos gaúchos, a defesa do Banrisul como público de fato se justifica por inúmeros fatores. Primeiramente, a necessidade de uma instituição financeira estatal forte em uma economia capitalista se explica pela exigência de se ofertar crédito onde e para quem os bancos privados não se interessam em fazer.

Nesse contexto cabe salientar também a função desses bancos estatais, como o Banrisul, de ofertar esse dinheiro a um custo baixo para projetos de desenvolvimento. Projetos esses que não teriam acesso a esses incentivos em instituições privadas, que visam conceder empréstimos apenas a partir de determinadas condições de lucro.

A ampliação da oferta de crédito para a maioria da população gaúcha é outro trunfo de um Banrisul público. Oferecer serviços bancários em localidades preteridas por bancos privados – que, obviamente, operam em centros urbanos com alta renda – é outra função de um banco estatal. Vale recordar também que é a partir de bancos públicos que milhares de pessoas têm acesso a programas de microcrédito, como o crédito agrícola tão popular no Rio Grande.

Sendo assim é importante sinalizar aos que flertam com a privatização do Banrisul que sua função vai além daquela exercida por seus pares privados. Avesso à ânsia desenfreada por lucros do setor financeiro, uma instituição financeira pública deve servir, prioritariamente, como ferramenta de fomento da terra onde tua. Um salve ao Banrisul!   

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”