17º Domingo do Tempo Comum

Postado por: Maria Vani Gehlen Ramos

Compartilhe
Salmo 137(138),3a. - Quando vos invoquei, vós me respondestes.
A primeira leitura do livro do Gênesis 18,20-32 nos relata o clamor de Abraão ao Senhor Deus em favor das cidades de Sodoma e Gomorra, nos mostrando a Sua grande benevolência.
A segunda leitura do apóstolo Paulo a comunidade de Colossenses 2, 12-14 onde diz que no batismo nascemos não como filhos de pais humanos, mas como filhos e herdeiros de Deus. O batismo opera a fé. A fé nasce da Palavra de Deus e o batismo é a água ligada com a Palavra de Deus.
EVANGELHO de Jesus Cristo, segundo evangelista Lucas 11,1-13 -
A liturgia da Palavra deste domingo aborda o belíssimo tema da oração. Jesus nos ensina a rezar e nos autoriza  a chamar Deus de "Pai", quando rezamos: Pai nosso que estais nos céus.  Ele nunca se aborrece com a nossa oração insistente, humilde e confiante, mas se compraz ao dizer:"Quem pede recebe, quem busca encontra e a quem bate se lhe abrirá".
Nem sempre recebemos o que pedimos. Mas, em se tratando de nosso Pai celeste, nunca devemos duvidar de seu amor e de seus favores, pois, na maioria das vezes, eles nos vêm de modo totalmente diferente do que esperamos ou imaginamos. 
O Pai Nosso é a oração que o próprio Jesus nos ensinou. Temos consciência de que esta oração é o resumo de tudo o que há de bom e que o discípulo pode desejar do Pai?
Nossa oração revela o rosto e o olhar misericordioso do Pai? 
Rezar a oração do Pai Nosso é louvar ao Pai Celeste; pedir pelo pão de cada dia: pedir perdão pelas ofensas cometidas, assim  como nós perdoamos aqueles que nos ofenderam e por fim que  nos livre de todo o mal que possa nos atingir.  Amém.
UM FELIZ E ABENÇOADO DOMINGO PARA TODOS.

Leia Também Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais” Passo Fundo Futsal/Fasurgs/Zamil: uma grande equipe nos representou em 2017 A Taça Maldita! Eu só penso naquilo!