Reflexões e ensinamentos da derrota do Sport Clube Gaúcho

Postado por: Luiz Carlos Carvalho

Compartilhe

Olá, amigos internautas!

No túnel que conduz aos vestiários da BSBIOS Arena, que é o maior do futebol do Rio Grande do Sul, fiz em alguns instantes uma rápida avaliação do que foi o Campeonato da Segunda Divisão para o Sport Clube Gaúcho. Verifiquei que foi uma campanha a ser saudada por ser um primeiro no novo estádio e já chegando à decisão, diante de um adversário qualificado e que nos últimos anos bateu na trave antes de chegar à consagração.

Naquela caminhada após a decisão, com a derrota de 2x1, fiz uma longo trecho por um espaço vazio. Ali naquele momento, caso o resultado fosse outro, estariam vários alviverdes a comemorar. Ficou o silêncio e a dor que deve existir naturalmente diante de um insucesso. Porém, passada a angústia da derrota, devem ser extraídos os ensinamentos que são muitos.

O Gaúcho esteve a 18 minutos do título, com a vantagem de 1x0, construída com pênalti concluído com exuberância por Fischer. Poderia ter ampliado. Em excelentes jogadas do lateral Cristiano pela esquerda, a bola foi tocada para o segundo poste e faltou alguém que completasse para as redes. Mas, assim é o futebol. O Guarany também havia chegado com perigo, obrigando William Lago a boas defesas. O esporte é assim emocionante. Um lance, um detalhe ou um descuido podem mudar toda uma história.

TORCIDA: Foi um belo espetáculo proporcionado pela plateia periquita. Os torcedores cantaram do início ao fim, demonstrando a sua paixão pelo clube. Pessoas de todas as idades estiveram presentes nas cadeiras e arquibancadas. Até mesmo no espaço popular atrás da goleira, estavam presentes os torcedores dos times amadores, como o Boca Júnior e Grêmio Hípica, entre outros. Ao final, todos os presentes aplaudiram os atletas pelo esforço demonstrado. Não se pode ganhar sempre, mas sempre é preciso aprender. O Gaúcho deu um passo para as vitórias, que virão, certamente, ao longo dos anos. Naquele túnel ora cercado pela tristeza em muitas tardes de domingo virão grandes comemorações.

O ADVERSÁRIO: O Guarany, de Bagé, merece todos os elogios. Ao invés de desanimar com a derrota do ano passado, quando perdeu os dois jogos decisivos para o Marau, se reergueu, montou o seu planejamento, reforçou-se e chegou ao título. Veio ao seu lado uma torcida apaixonada e que sonhava com a volta à Divisão de Acesso. Os méritos precisam ser endereçados aos campeões. O Gaúcho perdeu para um grande concorrente. Se seguir os passos do Guarany, que perdeu um título e não desanimou, no próximo campeonato poderá vir a volta olímpica.

GRANDE VITÓRIA NO CAPINGUI: O Passo Fundo Futsal/Fasurgs/Zamil conquistou no sábado três pontos preciosos pela Série Prata. Com a vitória de 2x1 sobre o Alvorada, subiu para o sétimo lugar, superando a AFF, que perdeu para o Afusca. Era importantíssimo ter um bom resultado, pois no confronto paralelo a concorrente a AGE também ganhara.

Foi a noite da superação para o time passo-fundense, com três desfalques e de jogadores importantes no esquema (Mika, Maurício Schelleder e Esquerda). O time foi unido, se superando a cada instante, pois poucas eram as opções de substituições ao longo do espetáculo. Guilherme e Zé Renato marcaram os gols para a alegria dos torcedores. Foi uma grande vitória sob a liderança do técnico Alexandre Boeira. Agora é continuar avançando. Ganhar em Tupanciretã do Figueira seria a consolidação de um crescimento no returno, com significativo passo para se buscar a classificação. A competição está muito equilibrada. Até mesmo o Guarany, de excelente elenco e que lidera a disputa, foi derrotado em Espumoso na noite de sábado por 5x4 diante da Abelc.


Até a próxima! Sejam felizes, vocês merecem!!!



Leia Também O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito Transporte coletivo entre boatos e incertezas