A campanha eleitoral em Passo Fundo – um olhar positivo

Postado por: Neuro Zambam

Compartilhe
O início do período eleitoral mais intenso interfere na vida de cada pessoa. Pelo menos temos que conhecer os candidatos e escolher apenas um em quem depositaremos nossa confiança para que nos represente num período de 4 anos. Nossas escolhas podem ser boas e não nos arrependermos, assim como, podem ser podemos mudar na próxima oportunidade. A vida é assim, às vezes acertamos, outras vezes erramos e nossa trajetória vai sendo construída. Eu e a quase totalidade dos eleitores já participamos de diversas eleições e sabemos como se processa como esse momento marca, assim como, as suas consequências. O ato de participar e escolher é essencial, aliás, as eleições periódicas são o vigor da democracia. O Brasil passa por um período de grave constrangimento nos últimos anos pelas sucessivas denúncias de corrupção, crise política e ausência de líderes capazes de catalisar os anseios da população e propor um projeto de país que encante, ou seja, desperte a confiança necessária. O grave disso tudo é o envolvimento de membro de, praticamente, todos os partidos políticos. A falta de referências é gravíssima para uma pessoa, uma instituição e um país. Infelizmente essa á e nossa situação, tanto em nível público quanto privado. No entanto, existem valiosas exceções que, no silêncio ou no vigor das suas falas e, mesmo, nos seus empreendimentos públicos e privados orgulham o seu entorno e nos permitem renovar a confiança. As eleições municipais em Passo Fundo, creio que na maioria dos municípios também, podem nos oferecer uma bela oportunidade de debater os temas, problemas, potencialidades, conquistas e deficiências do município de forma mais precisa e clara se comparado a outros pleitos. No plano federal as denúncias, como acima descrito, atingem todos os partidos. No Estado a situação é dramática. Logo, devemos discutir exaustivamente a vida da cidade. Afirma-se: Quem não conhece a sua aldeia não conhece o mundo. Quem não conhece sua cidade não conhece o Brasil. A percepção que o Brasil pulsa na nossa cidade nos ajuda a atuar com mais destreza e esperteza. O tempo mais restrito para a campanha nos obriga a ficarmos mais atentos.

Leia Também O "arrastão" agora é da polícia! A vez de o Grêmio ser prejudicado Série Prata: de sétimo para o segundo lugar! O desenvolvimento natural: a contribuição de Jean-Jacques Rousseau