O valor de cada medalha conquistada

Postado por: Luiz Carlos Carvalho

Compartilhe
Olá, amigos internautas!
O Brasil entra na semana final dos Jogos Olímpicos em busca de novas medalhas, agora nos esportes coletivos. Nas disputas individuais eram esperadas mais conquistas, mas novamente o destaque ficou por conta do judô, um esporte que conta com grande número de praticantes no país, desde o ouro de Aurélio Miguel em Seul, no ano de 1988.
Ao invés de olhar para a quantidade de medalhas, opto por valorizar cada uma delas e quem as recebeu. Além dos judocas exemplares, como Rafaela Silva, a destacar as emoções que tivemos com a ginástica.  A prata e o bronze no pódio foram o reflexo de tanto esforço empreendido em uma modalidade que requer superação, com a falta de investimentos.  Não há outro caminho que não seja o apoio ao trabalho realizado nas escolas, de onde surgem grandes campeões. Infelizmente, hoje o que se encontra são educandários sem a melhor estrutura, apesar de todo o esforço dos professores. Em muitas escolas públicas falta a bola para treinar, a quadra coberta (em dia de chuva não há Educação Física) e em alguns lugares é preciso existir a orientação ou em terreno baldio ou na rua.  É a realidade de muitos estados. Por isso, todos os elogios a cada atleta que está se destacando no Rio 2016, superando a força do primeiro mundo.
Ao mesmo tempo, fica a admiração pelo voleibol. Nesse esporte, a cada Olimpíada renovam-se as esperanças de vitórias. As meninas estão exuberantes na competição. O time masculino perdeu muito sem a presença do passo-fundense Murilo, mas seguimos na torcida.

BOLA NA REDE
O Brasil ainda é o país do futebol. Não é uma frustração de Copa do Mundo que muda uma marca, sendo o maior vencedor de Copas do Mundo. Falta ainda a alegria do título olímpico. São abertas agora duas possibilidades, no masculino e no feminino. Quanto às mulheres, nada melhor que a medalha de ouro para alavancar o apoio. Cada vez mais. atletas do feminino estão escolhendo correr atrás da bola. Em relação ao masculino, foram registradas participações exitosas em 1984 e 2012 e a se lamentar a derrota na final de 1988, quando o Brasil era melhor que a União Soviética. Se vierem as conquistas, os brasileiros poderão recuperar o alto astral e a confiança, até mesmo nas Eliminatórias.

FUTSAL
O Passo Fundo Futsal/Fasurgs/Zamil cresceu na disputa. Chegou no sábado passado à segunda goleada consecutiva em Augusto Pestana e se apresenta como candidata à classificação. Fundamental agora é contar com o apoio de um grande público no sábado diante da SASE, de Selbach. Trata-se de um excelente adversário, com a condução do técnico Javali.
A equipe passo-fundense merece todo o incentivo. Os atletas, que trabalham em outras profissões, se integraram ao projeto e treinam nos mais inusitados horários em preparação para os jogos da Série Prata. O grupo chega a efetuar os seus treinamentos no horário do meio-dia. Depois da preparação, almoçam no local e se deslocam para suas atividades. Isso chama-se vontade de vencer. A Rádio Planalto está ao lado do Passo Fundo Futsal/Fasurgs/Zamil, levando ao ar as emoções de todas as partidas. Confira como está a classificação:

1ª FASE - CHAVE 1

POS Time PTS J V E D GP GC S
1

SER ALVORADA

37 17 12 1 4 77 53 24
2

GUARANY COTRIEL

37 17 12 1 4 62 43 19
3

LAGOA FUTSAL

33 17 10 3 4 64 44 20
4

ABELC

32 16 10 2 4 73 45 28
5

SASE

31 16 9 4 3 61 41 20
6

PASSO FUNDO FUTSAL

28 17 8 4 5 63 45 18
7

AFUSCA DTOOLS

27 16 9 0 7 58 56 2
8

AGE

23 17 7 2 8 58 56 2
9

AFF

21 16 6 3 7 57 66 -9
10

FIGUEIRA

14 17 4 2 11 50 81 -31
11

AAPF

11 16 3 2 11 38 91 -53
12

UNIÃO FUTSAL

0 22 0 0 22 6 46 -40


Até a próxima. Sejam felizes, vocês merecem!

Leia Também O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito Transporte coletivo entre boatos e incertezas