O legado das Olimpíadas 2016 e os desafios para o futuro do Brasil

Postado por: Clovis Oliboni Alves

Compartilhe

A realização das olimpíadas 2016 na cidade do Rio de Janeiro, iniciaram com um olhar de desconfiança e descrédito por parte da opinião pública nacional e internacional. O cenário de crise política e econômica de nosso País, associado a falta de recursos e atrasos nas obras, além do desanimador resultado da Seleção Brasileira de Futebol na Copa do Mundo, contribuíam para as previsões mais pessimistas possíveis nestas olimpíadas. Ao contrário do que se previa, os jogos olímpicos no Brasil, foram um sucesso, superaram as expectativas e mostraram para o mundo do esporte, um verdadeiro show de tecnologia, infraestrutura logística, segurança e mobilidade urbana, dignas de países de primeiro mundo.  

O Brasil conseguiu um resultado inédito e histórico nestas olimpíadas, sendo a melhor classificação já conseguida nos jogos olímpicos pelo nosso País. Conquistamos o 13º lugar no quadro de medalhas, sendo sete (7) medalhas de ouro: no futebol masculino de campo (fomos ouro ganhando de nossa algoz Alemanha), no vôlei masculino de quadra, vôlei de praia masculino em dupla, no judô, boxe, vela e no atletismo. A cada medalha conquistada, vimos a emoção e as lágrimas de atletas e torcedores, contagiando a todos os brasileiros que assistiram as competições e vibraram a cada vitória. O mundo parou para assistir aos jogos olímpicos. Foram mais de 4,5 bilhões de pessoas no Planeta, assistindo a este magnífico espetáculo do esporte. Foram 10.500 atletas de 205 países participando dos jogos, uma verdadeira festa cultural, social e política dos povos, que trocaram experiências e vivências de maneira harmoniosa e pacífica. As obras de infra-estrutura que aportaram as competições, bem como as de mobilidade urbana, até então questionadas e postas em dúvida pela mídia, sobre suas conclusões, foram concluídas e funcionaram a contento. A segurança pública, tão temida por todos, por sua fragilidade e extremo grau de violência, com que vivia a cidade do Rio de Janeiro, foi executada com maestria pelos órgãos responsáveis, digna de elogios, até mesmo pela imprensa internacional.

O desafio de sediarmos uma olimpíada foi vencido e executado com grande êxito, pois além de mostrarmos para o Mundo o lado bom e bonito do Brasil, ficaram legados importantes para o povo brasileiro, tanto no aspecto material, como no emocional. No que se refere as obras de infraestrutura, foram 38,2 bilhões investidos, sendo que destes, 24,6 bilhões, foram para obras permanentes na cidade (Fonte: site G1. Com). Saímos destas olimpíadas com a sensação de que somos um povo forte, aguerrido e com capacidade de superação. O povo brasileiro fez a sua parte, torceu, vibrou, lotou os estádios e foi cortês com os estrangeiros. Nossas belezas naturais e pontos turísticos, foram um show a parte, encantando a todos os que aqui vieram ou assistiram pela TV. A vantagem do Brasil com relação a outros países que já sediaram as olimpíadas, está na observação de experiências positivas e negativas, evitando erros e projetando acertos.  Agora precisamos olhar para frente, para o futuro, pois temos grandes desafios a serem enfrentados nos próximos dias: a realização das paralimpíadas no mês de setembro; a conclusão do processo de impeachment da presidente Dilma; as eleições municipais de outubro deste ano, e, a superação da crise econômica, moral e política que ainda assola nossa Nação. São grandes e importantes desafios que irão marcar a história e trajetória de nosso País para o futuro.

Indiscutivelmente, as Olimpíadas 2016 do Rio de Janeiro, oportunizaram um grande espetáculo para o esporte mundial. O Brasil saiu vitorioso desta olimpíada, o Rio de Janeiro ficou equipado com obras de infraestrutura, mobilidade e logística de primeiro mundo, ganhamos autoconfiança, elevamos a moral e autoestima do brasileiro, além da credibilidade internacional, que vinha abalada diante de tantos escândalos na política nacional.

 

Leia Também A Justiça injusta 12º Domingo do Tempo Comum O legal, o justo e o moral Semana do Migrante