Liturgia do 23º Domingo do Tempo Comum

Postado por: Maria Vani Gehlen Ramos

Compartilhe
Senhor, fostes nosso refúgio de geração em geração. Salmo 89(90),1
Podemos ver neste Evangelho, mais uma vez, Jesus ensinando e alertando àqueles que O querem seguir, como precisam viver e proceder. Segundo o evangelista Lucas 14,25-33, Jesus se volta para quem o acompanhava e diz: "Se alguém vem a mim e se não me ama mais que seu pai, sua mãe, sua mulher, seus filhos, seus irmãos, suas irmãs e até a sua próprio vida, não pode ser meu discípulo. E quem não carrega sua cruz e me segue, não pode ser meu discípulo....
Quando Jesus fala da cruz, não está se referindo ao sofrimento, Para Jesus sua cruz não foi sofrimento, mas cumprimento da missão para a qual fora enviado à terra.  A cruz significa o projeto de Deus para a salvação, significa assumir o compromisso com Deus pela salvação dos seres humanos. Tomar a sua cruz é o projeto de vida dos cristãos. Quando se trata do rompimento com os familiares, este sofrimento, como qualquer outro, é irrelevante, o que importa é seguir a Jesus.  A caminhada de Jesus tem o seu grande ensinamento> Ele vai à frente, como nos dizendo: "eu vos dou o exemplo". É preciso sempre caminhar rumo ao projeto de Jesus, sem vacilar, mesmo sabendo que as dificuldades no caminho poderão ser grandes e penosas. 
Jesus nos pede ainda que o nosso seguimento não seja algo irrefletido, mas com liberdade e conscientes do seguimento. A mensagem deste evangelho é de esperança e também de liberdade
PARA REFLETIR: Quanto pesa nossa cruz? Somos capazes de carregá-la  com coragem e conscientes do porque o fazemos?
Que obstáculos precisamos transpor para, com liberdade, viver nossa fé? .

Leia Também Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais” Passo Fundo Futsal/Fasurgs/Zamil: uma grande equipe nos representou em 2017 A Taça Maldita! Eu só penso naquilo!