Mateando com Saúde

Postado por: Jureci Machado

Compartilhe

Mateando com Saúde

Ele é o companheiro de muitos gaúchos, alguns preferem ingeri-lo pela manhã outros no finalzinho da tarde. Na aula ou no trabalho, em casa ou no parque, sozinho ou entre amigos, o chimarrão está presente na rotina de muitas pessoas. O mate, que é originário dos povos indígenas, foi adotado como a bebida mais tradicional dos gaúchos e também de nossos vizinhos além fronteiras.

A Ilex paraguariensis, o ingrediente da erva-mate usada para o chimarrão, é um estimulante, tanto mental quanto muscular, pois o chimarrão possui alcaloides, sendo o principal deles a cafeína que  são responsáveis por eliminar o cansaço físico e mental, a fadiga.

Contém vitaminas B1, B2, B6, C, E e D, minerais como ferro, fósforo, potássio e manganês, além de possuir um excelente  antioxidante presente também no vinho  denominado como flavonoides que combatem os radicais livres, além de possuir propriedades digestivas.

Possui ação vasodilatadora e hipolipemiante, ou seja, com potencial para redução dos níveis de colesterol, que, por consequência, colabora na prevenção de doenças cardíacas e vasculares. Também são benéficos a ação antioxidante, anti-inflamatória e antimutagênica, que ajudam na prevenção do envelhecimento celular.

Mas é necessário ter cautela quanto ao consumo, pois como ele tem propriedades diuréticas é necessário também a ingestão de água de forma a contemplar as perdas do organismo, assim como  ser evitada ou consumido com cautela  por hipertensos e por pessoas que são sensíveis a algum dos componentes da erva-mate.

Outro fator a ser controlado é a temperatura da água em que é preparado, lembrando que o Rio Grande do Sul supera o ranking nos casos de câncer de esôfago.

O chimarrão além de possuir essas propriedades nutritivas, possui um efeito muito interessante, que é o efeito acolhedor. Para os gaúchos não existem inimizades quando está presente sempre um bom chimarrão.

 

 

Leia Também 3º Domingo do Tempo Comum. Que seja feita justiça no caso “Lula” “A verdade vos libertará” (João 8, 32) Absolver é dar um viva à imoralidade