A insegurança e a inércia do Estado

Postado por: Juliano Roso

Compartilhe

O caos da segurança pública no Rio Grande do Sul é fruto de uma atitude costumeira do atual governo: a inércia. A falta de políticas claras e efetivas de combate à criminalidade resulta em mortes e mais violência. A situação do Penitenciária Feminina Regional de Passo Fundo retrata bem a falta de ação do governo. Com verba, terreno e projeto em mãos, o Estado não dá início ao trabalho de construção do prédio. Por causa disso, o Presídio Regional de Passo Fundo sofre com a superlotação. As medidas de combate à violência passam, necessariamente, por uma postura séria e atuante. Com projetos claros e efetivos contra o crime. Mas para isso é preciso valorizar as categorias da área de segurança, investir mais em inteligência e, sobretudo, agir. Não será com um discurso de pessimismo e de derrotas que vamos reverter esse quadro tão triste para todos os gaúchos.   

Apesar dos avisos e do aumento nos números de crimes em todas cidades do Estado, especialmente em Porto Alegre e sua região metropolitana, o governo segue apático. O que preocupa é que se o Estado não consegue liberar o andamento de uma obra que vai criar novas vagas prisionais em Passo Fundo, como terá condições de combater criminosos cada vez mais armados e que fazem das ruas da cidade um campo fértil para seus delitos. Nós não torcemos contra o atual governo, mas o advertimos sobre as medidas que são urgentes e que podem colaborar para a melhora de uma área tão carente e que preocupa a todos nós.

Leia Também William II Elo passado-presente-futuro Sujeito descansado Maneiras de usar o floral nesse verão 2018