O poder das palavras na origem dos pensamentos

Postado por: Israel Kujawa

Compartilhe

Os pensamentos, as palavras e os comportamentos dos seres humanos são construções que podem ser explicadas a partir de relações com conceitos, teorias e contextos de vida. Um pensamento específico, indicando capacidade, superioridade, incapacidade, inferioridade tem sua origem vinculada com sentimentos e atitudes. O poder dos vocábulos em geral e das expressões, devem ser reconhecidos e explicitados. Platão ensina que a linguagem pode cumprir a função de veneno, de cosmético ou de remédio.  

Ao desvalorizar, desprestigiar, inferiorizar, diminuir e negar, uma palavra pode desmotivar, entristecer, paralisar e contribuir para o adoecimento. Deste modo, possuindo um sentido depreciativo, negativista, pode prejudicar ou até destruir.  Nesta forma estão incluídas as fofocas, as calúnias, os boatos e as mentiras, que não contribuem para o bom convívio entre as pessoas. Outro perigo são as frases que produzem conclusões apressadas, antecipadas e subjetivas. Geralmente, esse tipo de uso tende a produzir injustiças.

  Neste sentido é necessário ter atenção com as palavras que parecem ser remédio, mas, na verdade, são tóxicas. Como cosmético, mascaram e maquiam a realidade, apresentando fatos aparentes como verdade concreta. Devemos nos defender da linguagem que mascara a realidade, buscando a veracidade que esclarece e fortalece pensamentos, sentimentos e atitudes vinculadas com comportamentos saudáveis. Como remédio, implica em atitudes conscientes e comprometidas em pensar mais profundamente sobre um determinado assunto, repensando, problematizando, submetendo à dúvida, à crítica, à análise, buscando entender o verdadeiro significado.

A linguagem pode auxiliar, esclarecer, confortar, ensinar e produzir relações saudáveis, de solidariedade e de compreensão. Ao estar consciente em um processo comunicativo, o sujeito reconhece sua ignorância e aprende com os outros. Nesse sentido, a palavra é instrumento para que os indivíduos se construam como sujeitos do conhecimento. E, ao reconhecer, valorizar, ensinar, motivar e alegrar, as palavras contribuem para o bom funcionamento do pensamento e das células.

 

Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito