Uma pátria que precisa se refazer!

Postado por: Ari Antônio dos Reis

Compartilhe

Ontem comemoramos uma data importante no calendário cívico, a Independência do Brasil. Em muitas cidades aconteceram desfiles, tradição que assinala a data. Também aconteceram uma série de manifestações, que a grande mídia veiculou a “contragosto” e interpretando os fatos maneira questionável, a contar pelo número de participantes. Tais manifestações denominadas Grito dos Excluídos cobravam a manutenção dos direitos da classe trabalhadora e a possibilidade da população decidir sobre um governo em nível federal eleito pelo povo.

Sobre a situação brasileira a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil assim se manifestou por ocasião da comemoração do dia da independência: Contudo, vivemos um triste momento de nossa história. A ausência de valores éticos e morais provocou a profunda crise política, econômica e social que estamos atravessando. A histórica desigualdade social não foi superada. Corremos o risco de vê-la agravada pela desconstrução de políticas públicas, que resultam em perda de direitos. 

Quem imaginava que o impedimento da presidente eleita seria o princípio da solução das nossas dificuldades se equivocou. Cada vez mais se levantam sérias desconfianças sobre a capacidade do governo em exercício responder às demandas do Brasil, especialmente no que tange a superação das desigualdades sociais e o exercício ético de um mandato público. As propostas pautadas preocupam pois não respondem aos reais interesses do pais, mas ao mercado e aos grupos que estão cobrando a fatura pelo apoio a instituição da nova ordem.

Precisamos nos refazer enquanto nação, mas os rumos apontados pelos nossos mandatários geram mais preocupações que esperança. Contudo a esperança faz parte do nosso ser. Que ela provoque outras atitudes em vista do bem de todos. Votar bem e com consciência no próximo pleito é uma dessas atitudes.

Leia Também Contenção de despesas em todas as classes Jaquetas femininas e masculinas inverno 2017 Juiz considera ilegal a cobrança da taxa de saúde suplementar Psicologia Jurídica