Liturgia do 24º Domingo do Tempo Comum

Postado por: Maria Vani Gehlen Ramos

Compartilhe
"Vou me levantar e irei a meu pai, e lhe direi: Meu pai, pequei contra o céu e contra ti." Lucas 15,18.
Esta foi a resolução e a decisão do filho arrependido por ter deixado a casa paterna voltando ao seu convívio com a certeza de que seria perdoado. O evangelho, segundo evangelista Lucas 15,1-32, deste final de semana, nos leva a uma passagem bíblica que sempre nos coloca numa situação de pecadores que precisam do perdão de Deus. Precisam voltar ao Seu convívio, pedir perdão e acima de tudo saber que serão recebidos de braços abertos e com festa. 
Estas duas parábolas deste evangelho: a ovelha perdida e o filho pródigo, nos mostram a realidade humana, ou seja, até onde pode chegar a maldade do coração humano e, por outro lado, o amor e a misericórdia do coração do nosso Deus. Deus sempre em busca daqueles que se desviaram do Seu caminho e não se cansa de perdoá-los quantas vezes for necessário. Seu amor é infinito. Assim, como o pai do filho pródigo, que voltando a casa paterna recebe roupas novas, um anel no dedo e uma grande festa, também nós que erramos somos recebidos amorosamente por Deus sempre que nos arrependemos. Entretanto, só volta quem sente saudade e muita falta do aconchego de onde saiu. Só volta aquele que sabe que será perdoado e será feliz novamente. 
Deus quer cuidar e curar nosso coração por meio da misericórdia infinita. 
Quem não gosta de receber um abraço depois de ter sido ferido e abandonado? Quem não gosta de ser chamado novamente de filho e acolhido amorosamente? Quem não precisa curar o coração?  Sabemos  que só volta quem tem humildade e coragem de recomeçar. Só volta quem sabe o caminho do retorno.

Leia Também Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais” Passo Fundo Futsal/Fasurgs/Zamil: uma grande equipe nos representou em 2017 A Taça Maldita! Eu só penso naquilo!