Jogador de futebol não se aposenta

Postado por: João Altair da Silva

Compartilhe

Jogador de futebol não se aposenta. Ele para de jogar, pendura a chuteira, mas não se aposenta. A mídia esportiva induz o público ao erro ao afirmar, normalmente, no final de temporadas futebolísticas, que determinados jogadores se aposentaram. Antes da Lei Pelé eles nem tinham o direito de seus contratos com os clubes reconhecidos como contratos de trabalho, como atividade laboral. Agora esse tempo pode ser contado para fins de aposentadoria. Isso se o clube recolher o INSS, o que muitas vezes não ocorre como observa o advogado Afonso Canabarro. O jogador de futebol está na regra geral da previdência, da aposentadoria do setor privado.

Ele terá que comprovar pelo menos 35 anos de contribuição para ir em busca do referido benefício. É por isso que ele não se aposenta como jogador de futebol. Não há fôlego para isso. Imagina um atleta jogar futebol, e com contrato, durante 35 anos? Ele teria que começar ainda menor e passar dos 50 anos em campo! Para piorar a situação da categoria, é o emprego mais instável que existe. Os contratos são sazonais, joga uma temporada de três ou quatro meses, rompe-se, e, muitas vezes só vai arrumar emprego no ano seguinte. É muito difícil dessa forma completar 35 anos de contribuição.

Os poucos jogadores de futebol que se aposentam é porque depois de pendurarem as chuteiras foram trabalhar em outras atividades. Como jogador, exclusivamente, jamais. Os poucos que ganham toneladas de dinheiro não precisam se preocupar com aposentadoria. O problema é para a maioria que ganha pouco e não tem emprego fixo.


Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito