Liturgia do 26º Domingo do Tempo Comum

Postado por: Maria Vani Gehlen Ramos

Compartilhe
Louva, ó minha alma, o Senhor. Salmo 145(146),1
Na primeira leitura, deste domingo, o profeta Amós 6,1a.4-7 novamente chama atenção sobre àqueles que comodamente se entregam aos seus prazeres não importando o restante à sua volta.
A segunda leitura nos traz a mensagem do apóstolo Paulo a comunidade de 1Timóteo 6,11-16 onde diz que o cristão precisa ser justo e estar a serviço da justiça. Podemos nos perguntar se somos justos com nossos irmãos e se nossos atos o demonstram livremente e abertamente.
O Evangelho de Jesus Cristo, segundo evangelista Lucas 16,19-31 nos traz a parábola do rico e do pobre Lázaro que mendigava suas migalhas. Apresenta, em seu relato, a recompensa justa recebida pelo rico após a sua morte e a de Lázaro. Abraão  os recebe e lhes concede a justa recompensa pelo resultado de suas vidas terrenas. 
A grande mensagem desta parábola é o convite a conversão dirigida também a todos nós, nos dias atuais. O bem estar e o "ter" em demasia pode nos levar aos prazeres terrenos de tal maneira, a ponto de nos tornarmos insensíveis às carências de nossos semelhantes mais necessitados, esquecimento, por completo, a solidariedade e a prática da caridade. Ter dinheiro e bens materiais não condena ninguém, mas o mau uso destes. Mais uma vez é enfocado o tema sobre a importância que damos aos bens materiais em nossa vida. Se Jesus o retoma é porque ele é de suma importância para a nossa vida.
Para refletir:
Estamos atentos às advertências que o Senhor nos dá por meio de Sua Palavra?

Leia Também Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais” Passo Fundo Futsal/Fasurgs/Zamil: uma grande equipe nos representou em 2017 A Taça Maldita! Eu só penso naquilo!