Para quem quer comprar um Fusca – Parte 2

Postado por: Júlio César de Medeiro

Compartilhe

Lataria

Hoje vamos comentar sobre a lataria. Esse é um ponto importantíssimo a ser observado na hora da compra do seu Fusca.

1 – Observe a pintura: Procure sempre observar a pintura sob o sol, em um ambiente aberto. Olhe de longe, analise todo um lado, depois a frente, o outro lado e então a traseira. Tons de cor diferentes, partes isoladas opacas ou muito brilhantes significam repintura mal feita. De perto, veja se existem riscos ou imperfeições. Pequenas correções não são tão caras, mas se precisar repintar todo o carro, prepare-se para gastar em torno de dois mil reais.

2 – Observe os espaços: preste muita atenção na junção das partes da lataria. Portas e capôs devem ter um espaço igual e uniforme em relação a carroceria. Vãos muito grandes ou desparelhos podem significar que o carro foi batido e mal consertado. Portas e capôs devem fechar e abrir facilmente, sem muito esforço. Peças desalinhadas permitem a entrada de vento e água no carro.

3 – Observe as borrachas: Todos os Fuscas, com excessão do “pé-de-boi” (1965-1968) e do “Itamar” (1993-1996) saíram de fábrica com frisos metálicos nas borrachas dos vidros. Se algum ou todos estiverem faltando, significa que a borracha ou mesmo o vidro foi substituído. Borrachas muito velhas ressacam e deixam entrar água no carro. Recolocar os frisos nas borrachas é trabalhoso e nem todos os profissionais do ramo fazem isso.

4 – Observe “as partes baixas”: Por “partes baixas” entende-se o assoalho, portamalas, cofre do motor e berço do estepe. Procure por buracos, rachaduras, vãos nos encaixes ou ferrugens. Retire todos os tapetes/carpetes que conseguir. Lembre-se de usar uma lanterna. Atenção para a parte dos pedais, para as caixas de ar (colunas que que dão sustentação à carroceria), berço do estepe (no portamalas) e para a caixa da bateria (embaixo do banco traseiro). Se puder leve o carro até uma rampa ou coloque em um elevador para visualizar também por baixo. Uma troca de assoalho, para ser bem feita, deve retirar a carroceria do chassi e isso se torna caro.

5 – Observe a massa: Quando ocorre um pequeno problema com a lataria, normalmente se utiliza massa plástica para a correção. Se o problema é maior, o ideal é trocar a peça inteira por outra nova. Muita massa aplicada significa um grande acidente ou um reparo mal feito, podendo até afetar a estrutura do carro. Procure por partes ásperas ou de textura diferente. Envolva um imã em uma flanela e passe suavemente pela lataria. Note que onde houver massa plástica o imã não irá grudar.

Lembre-se: se ficar com dúvidas, leve o carro até um profissional da sua confiança e peça uma avaliação.

Na semana que vem continuaremos com as dicas para a hora da compra do seu Fusca. Grande abraço.

Leia Também Eu não acho que um professor deva ganhar bem - Parte II Empreendimentos sujeitos ao Licenciamento Ambiental O Fusca mais potente já fabricado pela VW A reforma política e a intervenção militar