Embargo na coleta do lixo resolveu o que?

Postado por: João Altair da Silva

Compartilhe

Parte da cidade está há oito dias sem recolhimento do lixo. O embargo foi imposto na quinta-feira passada. Nos bairros onde a coleta acontece nas segundas, quartas e sextas, a expectativa do recolhimento fica somente para amanhã (sexta-feira). A população não aguentou mais conviver com o lixo acumulado na cozinha, no banheiro, na garagem e jogou na rua.

A coleta foi liberada na noite de segunda-feira. Deveriam ter feito um mutirão para recolher os resíduos no feriado do dia 12, mas isso não ocorreu. A consequência é o acúmulo de lixo nos bairros e vilas da cidade. Os 200 mil habitantes da cidade produzem mais de 100 toneladas diárias de lixo.

A pergunta é para que serviu esse bloqueio judicial no recolhimento? Não serviu para anda. Uma decisão intempestiva. Não há como mudar a forma de recolhimento do lixo a curto e médio prazos. É assim que acontece em todo o país, ou seja, garis andam nos estribos dos caminhões, o que a justiça do trabalho não quer.

Ocorre que no final das contas nada foi mudado, foi dado um prazo de 60 dias para a Via Norte apresentar uma proposta de alteração na forma de recolhimento. Repito, prazo esse para o encaminhamento de uma proposta, não para a mudança. Bom, se era para conceder prazo para a apresentação de um plano, não precisaria ter bloqueado o serviço. A decisão serviu apenas para penalizar a comunidade.  

Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito