A singularidade do comportamento humano

Postado por: Israel Kujawa

Compartilhe

A ampliação da capacidade em compreender o comportamento humano depende da reconstrução e da análise das produções de pessoas que demonstraram um nível de interpretação localizada acima média. São pessoas situadas fora da curva normal, na qual a maioria se encontra, cuja vida e obra apresentam uma influência muito além de seus círculos pessoais. Neste grupo podem ser incluídos Sigmund Freud (1856-1939) e Carl Gustav Jung (1875-1961), que são identificados como dois mestres da ciência investigadora das bases teóricas das atitudes, sendo referências importantes para quem deseja entender ou se tornar um profissional da psicologia.

Dos escritos de Freud pode ser destacados, entre outros: Psicologia da Vida Cotidiana, Totem e Tabu, A interpretação dos sonhos, O Ego e o Id e O Mal Estar na Civilização.  Seu legado engloba a revolução provocada pela descoberta do inconsciente e pela construção de um método para tratar as doenças mentais denominado de psicanálise. Um dos seus focos de pesquisa está na identificação das origens da infelicidade e dos conflitos entre indivíduo e sociedade, em seus diferentes aspectos. Na obra O Mal Estar na Civilização, por exemplo, constrói uma espécie de teoria psicanalítica da política, ao mergulhar seus pensamentos na análise das relações conflituosas da cultura de sua época.

Jung era muito culto em filosofia, mitologia e literatura, tendo pesquisado dedicadamente o pensamento de diversas culturas, inclusive orientais. Se encontrou pessoalmente com Freud em 1907. O primeiro encontro entre estes grandes pensadores se estendeu por longas horas de conversação. De 1907 até 1912 houve grande colaboração entre ambos, sendo que Freud via em Jung seu sucessor, para conduzir a psicanálise adiante. Em 1910, por influência de Freud, Jung assumiu a presidência da Associação Psicanalítica Internacional. No entanto, rompeu sua ligação com o grupo psicanalítico e gradualmente desenvolveu as teorias da sua Psicologia Analítica (ou Psicologia Junguiana). A publicação do livro “Transformações e símbolos da libido” (1912), é um marco no rompimento do relacionamento entre Jung e Freud.

Por suas contribuições de valor incalculável para a Psicologia e para outras áreas do conhecimento humano, Freud e Jung devem ser lidos, estudados e analisados. Estes pensadores mostraram que a mente (psicologia) é uma das mais importantes dimensões constituintes do ser humano. Suas obras disponibilizam ferramentas conceituais para analisar a singularidade da conduta, possibilitando uma abertura nos horizontes da visão para quem deseja construir a análise do próprio comportamento, bem como das pessoas que buscam auxílio para atingir o mesmo objetivo.

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”