O passado do futsal em Passo Fundo é lindo, e o futuro é promissor!

Postado por: Cristian Queiroz

Compartilhe

No último sábado estive em Espumoso na transmissão da semifinal da Série Prata, infelizmente a classificação ficou com a equipe da casa. Não será em 2017 que Passo Fundo voltará a figurar na elite do futsal gaúcho.

 Mas, neste momento, isso não é o mais importante. Encerrado o ano para Passo Fundo Futsal, é preciso cumprimentar um a um daqueles que fizeram parte deste vitorioso ano de 2016. Cada jogador, inclusive os que saíram no meio do caminho e a comissão técnica que iniciou o ano no comando da equipe. Mas principalmente parabenizar o técnico Alexandre Boeira e seu grupo que, com todas as dificuldades que a equipe tem, mesmo sendo seu primeiro trabalho na Série Prata, fez um grande trabalho, “vendeu” caro a vaga na Ouro para o Guarany, a melhor equipe da competição, em dois jogos disputadíssimos, onde pequenos detalhes fizeram a diferença. Alexandre Boeira é um técnico promissor, é jovem e estudioso, não tenho dúvidas que terá uma grande carreira no Futsal.

Dos atletas, poucos vivem apenas da bola, a grande maioria tem outra atividade além do futsal, e por isso os treinos aconteciam à noite e uma vez por semana ao meio dia, em um esforço ímpar do grupo, que sempre se doou ao máximo dentro e fora da quadra.

A diretoria deveria receber uma homenagem da Câmara de Vereadores. Flávio, Atílio e Tales são responsáveis pelo volta do futsal em Passo Fundo e pela volta do Futsal para o ginásio Capingui.

Estão todos de parabéns! O saldo é extremamente positivo. Em três anos de vida, o Passo Fundo Futsal subiu do Bronze para Prata, voltou para o Capingui e está entre às quatro melhores equipes da atual série.

Que em 2017 o Passo Fundo Futsal tenha ainda mais sucesso, com mais apoiadores e com ainda mais torcida no ginásio.

O passado do futsal em Passo Fundo é lindo, e o futuro é promissor!

GRÊMIO

Estou tentando, estou lutando, uso diariamente todas as minhas forças para não me iludir. A garota é bonita demais, não pode estar me dando esse mole, ainda mais agora, num final de ano que já imaginava que seria como os outros 14 passados. Mas ela me atenta, a cada instante a imagem dela vem na minha cabeça, não quero me iludir, porque depois, quando eu menos esperar sei que ela vai me abandonar, sei que ela vai embora com outro, e pior, os dois rirão da minha cara. Não quero me iludir, mas não está fácil resistir.

Essa mesma linda garota já me fez acreditar no seu amor outras tantas vezes. Eu sempre acreditei nela, e me dei mal. Eu era o primeiro a falar que tudo daria certo, que o desfecho seria o mais lindo possível, que brindaríamos juntos nossas conquistas. Mas, quando eu menos esperava, quando eu estava no ápice do meu sentimento, ela soltava a minha mão e ia embora com outro.

Eu estou tentando não me iludir, mas não está fácil, ainda mais depois da última quarta-feira.

Que noite que passamos juntos. Confesso que não esperava uma exibição como aquela.

Ahh Grêmio, porque fazer isso? Porque me iludir? Agora estou aqui, sonhando com a classificação para a final, sonhando com a Copa! Será que desta vez vai dar certo para nós? Promete que não vai me trocar por um mineiro? Não vai me trocar na frente de mais de 55 mil pessoas?

Depois de 14 anos, estamos perto de voltar a conquistar um título nacional. A Copa do Brasil é realidade, a vitória em Minas encaminhou bem a classificação para a final, agora é seriedade na próxima quarta para confirmar a vaga. E aí, vamos voltar à uma final de campeonato depois de 9 anos, a última foi em 2007, contra o Boca na Libertadores. 

A torcida está eufórica, sedenta por essa conquista. Ainda faltam 3 jogos, mas como disse anteriormente, eu sempre sou o primeiro a dizer que tudo vai dar certo. Então, desta vez vai dar certo.

Como a torcida canta, o Grêmio vai sair campeão!

 

 

 

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”