VW TL 1600 – um “dois volumes e meio”

Postado por: Júlio César de Medeiro

Compartilhe

A década de 70 foi muito generosa quando se fala em modelos de carros produzidos no Brasil, isso se comparada às décadas anteriores. Só a VW manteve até 10 modelos em produção, quase que simultaneamente: o fusca, a Kombi, o Karmann Ghia, o VW1600, a Variant, o Brasília, o TL, o Passat, a Variant II e o SP2. Uns sobreviveram por mais tempo e outros tiveram vida curta. É o caso do VW TL 1600, um “dois volumes e meio”, como foi apresentado ao mercado interno no seu lançamento, em 1970.

Partilhava tudo com a irmã maior, a Variant, desde a motorização de 1600cc e dois carburadores até o interior simples, mas funcional. De diferente trazia a carroceria, que estava na moda – o “fastback”. Porém, não alcançou o sucesso do outro “fastback” da VW, o Karmann Guia, mesmo sendo bem mais barato. Mesmo assim, foi eleito como o carro do ano de 1971.

Foi vendido, durante os cinco anos em que foi produzido, em duas versões: com 2 ou 4 portas. A versão de quatro portas, rechaçada pelo público da época (vai entender) tinha destino quase certeiro para rodar como “carro de praça”, que é como chamavam os táxis.

A estratégia da VW ao manter ao mesmo tempo no mercado dois “fastbacks” – o TL e o Karmann Ghia, nunca foi muito clara. Talvez a intenção fosse oferecer um carro com apelo mais jovem que a Variant e mais barato que o Karmann Guia, mas, definitivamente, não deu certo. Tanto não deu certo que em 1975 a VW lançava mais um “fastback”, o Passat, que sacramentou o falecimento do TL. Se perceber, a chegada do Passat causou a interrupção da fabricação de vários modelos VW a ar.

Outra versão, muito pouco conhecida, é o TL Sport, que foi uma tentativa da VW de alavancar as vendas do carro. Mas, para a decepção geral da nação, a parte “sport” ficou somente no nome e em algumas faixas pintadas na carroceria. Tampouco se preocupou a fábrica em catalogar quantas unidades desta versão foram produzidas ou mesmo qualquer informação técnica. Sabe-se, porém, que foi produzido um número muito reduzido e somente em 1972. É tão rara essa versão que até bem pouco tempo se especulava se realmente havia existido e se seria possível encontrar um modelo intacto. Contudo, alguns colecionadores vieram a público e apresentaram suas relíquias, comprovando a existência do modelo e suas características.

Como todo VW antigo refrigerado a ar, o TL é, hoje em dia, um carro muito procurado por colecionadores e exemplares em bom estado podem valer um bom dinheiro. Um TL Sport branco estava a venda, este ano, em uma loja especializada em carros antigos especiais pela bagatela de R$35.000,00, bem ao lado de um Karmann Guia vermelho oferecido por R$60.000,00. Já pensou? Será que aquele TL do seu tio, parado a 20 anos no galpão ou na garagem, coberto de poeira e sujeira, não é um raro modelo e esteja valendo uma pequena fortuna? Quem sabe?

Um grande abraço e até a semana que vem!

Leia Também A sociedade civil organizada, calada! Poda drástica Como fica o transporte coletivo? Avós os guardiões da vida e da fé!