A inveja

Postado por: Caroline Garcia Silva

Compartilhe

A inveja, um dos sete pecados capitais, é o desejo por atributos, posses, status ou habilidades de outra pessoa. Pode ser definida também como “o deslocamento da energia do potencial de determinado indivíduo para a exacerbada preocupação com a satisfação e prazer de outra pessoa, geralmente íntima do sujeito em questão”.

Faz parte da natureza humana, a inveja. Primeiro passo para lidar com ela é aceitá-la e tirar esse peso tão grande que damos a ela. O tabu, a condenação e o julgamento apenas tornam a energia da inveja mais forte, seja dentro ou fora de nós.

Quando sentimos inveja de quando alguém recebe uma promoção no trabalho, quando alguém está namorando, quando se realiza o sonho de comprar a casa própria, um carro, enfim a realização de um sonho... Isso na realidade é insegurança e falta de amor próprio disfarçados. Não é mais do que um sentimento de inutilidade que gera uma revolta por não sermos como os outros são. Assim quem sai mais prejudico da inveja não são os outros, mas quem inveja. Ela é destrutiva, corrói a auto-estima, destrói o crescimento individual, destruindo a sua auto-aceitação porque não produz mudanças favoráveis ao desenvolvimento do invejoso, enquanto pessoa. Frustrado, o invejoso coloca todo o tipo de sentimentos maus naquele que é o objeto da sua inveja.

O reconhecimento deste sentimento é bastante doloroso, porém a única maneira de neutralizar é aprender a utilizar o sentimento em seu favor. É um sentimento que faz parte da natureza humana. Podemos dar “poder” a ela, a este comportamento ruim, mas podemos perceber que pode ser um pedido de socorro de nós para nós mesmos, um pedido de amor.

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”