Estão debochando do Brasil

Postado por: Dilerman Zanchet

Compartilhe

Não é possível enumerar, sem correr o risco de perder as contas, ou deixar passar algo importante, os desmandos, ou deboches, que estamos vivendo neste país tupiniquim.

Os mesmos erros cometidos até há pouco mais de seis meses, pelo que consta, continuam. E a culpa não é da mídia globalizada, como afirmam alguns doentes. Sim, porque atribuir as denúncias de falcatruas à mídia é confortável. Chamar alguém de fascista, de coxinha ou de direita, é fácil, quando se tem, no final do mês, seus polpudos proventos pagos pela máquina estatal.

É o retrato do Brasil atual: Concursados, muitos deles com vantagens e vantagens que não conseguiriam na iniciativa privada, agora vestem vermelho, sem serem colorados. E atribuem tudo a um golpe. Provavelmente o mesmo golpe que fez ruir a Petrobrás. Pimenta, para eles, é colírio.

Vale, nestes deboches, citar a licitação do Ministério da Educação, que quer “alimentar bem” o titular da pasta, com frutos do mar e outros produtos, na média de 200 mil reais por “temporada” de voos. Vá comer bem só lá... nas aeronaves da FAB.

Uma piada...

Ou aquele juiz carioca que, em um único mês, acumulou de salário e proventos em torno de R$ 600 mil?

Ou aquela invasão de militantes não-sei-do-quê, que invadiram a Câmara Federal pedindo o regresso dos militares? O Brasil perdeu definitivamente o juízo?

Bem.... Pensando bem... em alguns momentos até que não seria uma má ideia...

Calma, calma. Eu explico:

Precisamos da volta dos militares para as construções de estradas. Na época do governo militar, sem Odebrecht, Camargo, Correa e outras, não tínhamos tanta corrupção e as estradas saíam do papel, com preços justos.

Por certo também fariam algo eficiente para oferecer segurança à população. Não teríamos presos algemados em lixeiras, como ocorreu em Porto Alegre.

Não estou defendendo o Exército, embora acredite que seja uma possível sugestão. Possível, eu escrevi.

Continuando: Não dá mais para aguentar os deboches do governo estadual, pois entendo que, se não tivesse uma solução antes de assumir, que pelo menos tentasse encontrá-la nos dois anos de governo. Empurrar com a barriga me parece muito fácil. Qualquer um poderia governar assim. Até os que só agitam.

Ainda podemos falar sobre Temer: Dizer que a prisão de Lula seria provocar uma convulsão dos ditos movimentos sociais no Brasil é muita incompetência. O principal mandante do país, aquele que deveria ser o irredutível cumpridor da Constituição, pois assim a jurou, não sabe e tem medo de que MTS, CUT, UNE e outros grupelhos, financiados com verbas públicas, agitem o país.

Manda as forças Armadas para cima deles, ué. Fácil e legal. Se não quiser que doa, não provoque o ferimento.

Sobre Renan: É outro deboche. Quase igual ao Cunha. Cara de pau e tudo o mais. Sem esquecer dos deputados que querem se proteger da Lava Jato.

Por fim, um pensamento de Mussolini: “O fascismo é definitivamente e absolutamente oposto às doutrinas do liberalismo, tanto na esfera econômica quanto na política”.

Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito