A definição do caminho

Postado por: Israel Kujawa

Compartilhe

Segurança sem liberdade é escravidão e liberdade sem segurança é um completo caos, incapacidade de fazer nada, planejar nada, nem mesmo sonhar com isso. Então você precisa dos dois. (Zygmunt Bauman)

Zygmunt Bauman é um dos cientistas sociais mais lidos na atualidade. O interesse das pessoas por sua obra passa pela capacidade que ele tem em apresentar ferramentas conceituais (sentidos) que auxiliam a descrever, com grandes habilidades, as inquietações e os comportamentos humanos. Entre estas ferramentas estão os conceitos de segurança e de liberdade. Trata-se de duas dimensões inseparáveis da história humana e da vida de todas as pessoas.

Ao apresentar estes dois conceitos Bauman argumenta que os mesmos disputam espaço entre si, esclarecendo que o aumento da segurança implica na diminuição da liberdade, sendo que o contrário também é visualizado na análise do comportamento. É importante perceber que estes dois aspectos centrais da existência humana compõem duas dimensões distintas, mas interligadas. Uma é subjetiva e psicológica e outra material. Nos casos em que esta compreensão não está devidamente esclarecida, a dimensão material pode se sobrepor, invadir e dominar a dimensão da amorosidade e do afeto, que são indispensáveis para todas as relações humanas saudáveis.

Ao analisar o comportamento, especialmente das crianças, se evidencia um aumento da liberdade na escolha dos caminhos, das ações e da autodeterminação, portanto um aumento nos níveis de liberdade. Em sentido oposto, a análise da segurança, nos espaços sociais e individuais, nas dimensões simbólicas e materiais, se apresentam com índices insuficientes para uma qualidade de vida adequada. Nas relações entre adultos e crianças a responsabilidade com a segurança incide especialmente nos adultos, que tem o dever de auxiliar na definição da trajetória para assegurar a mesma.

Exemplos em que adultos e crianças se confrontam na definição de escolhas indicam, de maneira geral, que os primeiros o fazem em nome da segurança e para evitar riscos e os segundos o fazem para experimentação de novas sensações de liberdade. Por um conjunto de razões, que inclui o acesso das informações, ao lazer e ao consumo, a curvatura no poder de decisão inclinou significativamente na direção das crianças. No entanto, cabe aos adultos, que são os principais responsáveis nesta relação, restabelecer o equilíbrio na relação indicando os caminhos, com o objetivo de incidir no aumento da segurança com liberdade para o conjunto da sociedade. 

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”