Secretarias: Rio Grande do Sul 17, Passo Fundo 20

Postado por: João Altair da Silva

Compartilhe

O governador José Ivo Sartori, quando assumiu o cargo promoveu uma redução de meia dúzia de secretarias para economizar. Agora, vai cortar mais uma parte, governará com apenas 17 secretarias. Em Passo Fundo, são 20 secretarias e mais a Passotur.

Se é possível governar um estado com mais de 11 milhões de habitantes com apenas 17 secretarias, porque municípios como o de Passo Fundo, tem que ter 20? municípios pequenos, com três, quatro mil habitantes com sete, oito secretarias, porque?

Se o prefeito Luciano Azevedo receber um de seus secretários por dia, terá todos os dias úteis do mês ocupados, com seu secretariado.

Notadamente tem muitas secretarias que poderiam ser fundidas em uma só, como Sartori está propondo, sem solução de continuidade ao trabalho. Captação de Recursos se confunde com Planejamento. Comunicação Social e Gabinete são áreas comuns. Em época de crise, Cultura pode ser uma extensão da Educação. Habitação poderia ser uma secretaria extraordinária para quando o governo federal disponibilizasse verbas maiores, pois são obras muito caras, ao contrário, caberia bem como um anexo da Semcas. Segurança Pública hoje se traduz em ações do trânsito, para isso já existe a Guarda Municipal. Outra tarefas poderiam ser assumidas pela pasta dos Transportes e a vigilância das escolas e postos de saúde podem ser assumidas pelas suas respectivas pastas. Esportes: é preciso uma secretaria exclusiva, ou pode se um anexo da Educação ou do Desenvolvimento Econômico?

Vejo que todas as demais prefeituras do porte de Passo Fundo, Rio Grande, Santa Maria, Pelotas, têm esse número demasiado de secretarias.

Que a lição de Sartori gere algum constrangimento aos prefeitos gaúchos.  

Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito