Transtorno do Estresse Pós-Traumático

Postado por: Caroline Garcia Silva

Compartilhe

É definido como um distúrbio de ansiedade caracterizado por um conjunto de sinais de sintomas físicos, psíquicos e emocionais. Ocorre devido à pessoa ter sido vítima ou testemunha de atos violentos ou de situações traumáticas que representaram uma ameaça à vida ou à vida de terceiros.

Geralmente está relacionado a experiências de fatalidade pessoal como abuso sexual; assalto; acidentes de carro ou de avião; morte súbita de um ente querido; descaso na infância; desastres naturais, pois esta experiência traumática faz com que a pessoa fique em estado de choque psicológico. A memória do que aconteceu e os sentimentos sobre o assunto estão desconectados.

Existem características marcantes referente aos transtorno tais como reviver o trauma através de sonhos e de pensamentos; evitar persistentemente fatos, objetos ou quaisquer situações que lembrem o trauma; medo de que a situação venha a se repetir; sensações físicas de desconforto e ansiedade que podem ser desencadeadas pela simples recordação mental do trauma; ansiedade; agressividade; apatia e depressão; culpa por ter sobrevivido a um acontecimento ao qual outras pessoas não puderam sobreviver; aumento da frequência cardíaca; afastamento dos outros; falta de interesse pelas atividades anteriores; pressão alta; respiração ofegante; tensão dos músculos; excesso de vigilância; perturbações do sono.

É notável que nas últimas décadas tem aumentado o número de diagnóstico do Transtorno do Estresse Pós-Traumático é recomendável a busca de atendimento médico e psicoterapêutico. Muito importante ressaltar quanto ao comportamento de crianças e idosos que tenham vivenciado situações traumáticas. 

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”