Velocidade: Também como causa do acidente II

Postado por: Gilmar Teixeira Lopes

Compartilhe

Como observamos na última oportunidade, a velocidade desenvolvida pelos condutores ao operacionalizar os veículos é um dos fatores relevantes para fins de responsabilidade civil e criminal em acidentes de trânsito.

Por isso, o motorista cauteloso e prudente deverá adotar todas as providências para evitar um acidente ou amenizar as consequências ao utilizar as vias públicas, principalmente nas rodovias.

Ignorar a lei e os princípios de direção defensiva significa muito mais que um ato de egoísmo (pensando ser o único no espaço urbano). Trata-se de atos ofensivos às regras fundamentais de convivência e de ordem legal e, sobretudo, vem acarretando graves consequências humanas (físicas – lesões e mortes) e jurídicas com pesadas indenizações e o comprometimento patrimonial.

Assim, visando a responsabilidade no acidente (onde a velocidade poderá ser um dos fatores) como serão as provas a serem produzidas?

A resposta é singela. Além da prova testemunhal que apontará a real situação no instante do acidente (dinâmica), as consequências também poderão ser apuradas, identificadas e proporcionadas ao processo judicial.

Embora que, no contexto atual de fabricação dos veículos, se observa a tendência de uma grande deformação com baixa energia, ainda assim um veículo em animada velocidade vai acarretar, no instante do impacto, graves consequências à estrutura veicular. Isso, naturalmente não poderá ser desprezado para fins de cálculo de velocidade.

Igualmente na análise dinâmica deve-se levar em consideração que, muito antes da velocidade final de embate ou de atropelamento, existe a velocidade que era desenvolvida quando o motorista observa (ponto de percepção) o obstáculo à frente. Neste contexto, considerando o tempo de reação e o acionamento dos freios, bem como as condições climáticas e de pavimento, o veículo continua em deslocamento até o impacto e o local de parada final.  

Portanto, para fins de apurar a responsabilidade num sinistro deverá ser levado em consideração a análise da dinâmica do acidente, bem como outros fatores que, diretamente ou indiretamente, irão influenciar no resultado final. 

Leia Também Feriado e treinos As armadilhas da Reforma Trabalhista O direito de não aceitar! Identidade