A luxúria e a avareza

Postado por: Clovis Oliboni Alves

Compartilhe

A luxúria e a avareza são considerados como dois dos sete pecados capitais, conforme a cultura cristã, que demonstram e expõe a fragilidade do caráter de uma pessoa. O desdobramento da operação “Calicute”, que faz parte da Operação Lava Jato, na cidade do Rio de Janeiro, levou para a prisão o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), sua esposa Adriana Ancelmo e uma série de comparsas, acusados por formação de quadrilha, corrupção e lavagem de dinheiro. O esquema criminoso de desvios de verbas públicas, chamou a atenção das autoridades pela “luxúria e avareza” do comportamento dos envolvidos.

No último dia 17 de novembro, o juiz da 7ª vara federal do Rio de Janeiro, Marcelo Bretas, responsável pela operação “Calicute”, em mais uma fase da Operação Lava Jato, levou para a prisão, o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral e uma série de comparsas, acusados por corrupção, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Com os desdobramentos da operação, começaram a ser desvendados uma série de esquemas de corrupção, que faziam com que o casal, Sérgio Cabral e sua esposa Adriana Ancelmo, principais articuladores e beneficiados pelo esquema, levassem uma vida de luxo e exageros de gastos: viagens internacionais, compras milionárias de jóias, roupas, veículos, restaurantes, bens móveis e imóveis, que podem chegar a uma cifra de mais de R$ 224 milhões. O tamanho do rombo é tanto, que o atual governador do RJ, Luiz Fernando Pezão (PMDB), ameaçou entregar o comando do estado para o governo federal, alegando ser incontornável a crise econômica. Os crimes políticos de corrupção, embora não tirem diretamente a vida das pessoas, são crimes covardes, que matam silenciosamente pela precariedade do sistema de saúde e segurança, principalmente. As vítimas destes “criminosos políticos”, que em troca de uma vida de gastanças soberbas, tiram a vida de quem precisa de tão pouco para viver, estão nas ruas, nas filas dos hospitais, na exclusão das periferias e nos presídios dominados pelo crime organizado.

A população brasileira assistiu a tudo extasiada, impressionada com tamanha gastança de dinheiro público, representados propositalmente aqui neste texto, por dois dos sete pecados capitais: a luxúria e a avareza. A luxúria (do latin luxuriae) é o desejo passional egoísta por todo o prazer sensual e material. Em seu sentido original, pode-se definir como: “deixar-se dominar pelas paixões”. Também podemos definir a luxúria pelo apego aos prazeres carnais, corrupção de costumes, sensualidade extrema e lacívia. Já a avareza, expressa o apego extremo e descontrolado pelos bens materiais e o dinheiro, acima de qualquer coisa, inclusive a Deus. Estes dois pecados capitais, expressam bem o que o casal Cabral, vinha fazendo com o dinheiro público da cidade do Rio de Janeiro, onde a “fraqueza” destes dois “miseráveis” seres humanos, nos demonstrou o quanto a vida pode ser fútil e avarenta. As fotos do casal em festas, viagens internacionais, iates, restaurantes, ostentando jóias e carros importados, agora dão lugar a fotos com o uniforme de presidiários de Bangu, que viralizam as redes sociais brasileiras. Jogaram no lixo os seus nomes e honra, pagaram caro pela falta de caráter, de ética e moral política, sem falar na justiça divina, que esta ainda há de ser julgada.

O exemplo que esta e outras situações estão nos dando, é o de que a justiça existe, que o crime não compensa e que os verdadeiros valores éticos e morais de nossa vida, estão acima dos bens materiais e do dinheiro, estão sim, expressos na riqueza de espírito do ser humano, na honestidade, na doação pelo serviço público, na honradez e nos bons exemplos que homens e mulheres públicas, que deveriam dar a toda a população.

 “A dignidade pessoal e a honra, não podem ser protegidas por outros, devem ser zeladas pelo indivíduo em particular”. Mahatma Gandhi

 

Leia Também Solenidade da Assunção de Nossa Senhora. Bolsonaro e a esquerda Ser religiosa (o) Escute o que o outro realmente quer dizer!