Qual o verdadeiro fundamento do Natal?

Postado por: Clovis Oliboni Alves

Compartilhe

 No próximo dia 25 de dezembro, comemoramos uma das datas mais importantes e festejadas no mundo todo pelo povo cristão. Quando falamos em Natal, a primeira imagem que nos vem na cabeça é: Papai Noel, presentes e festas, deixando de lado o verdadeiro sentido do Natal, que é a comemoração pelo nascimento de Jesus, pela celebração pela vida, pela paz, harmonia e fraternidade entre as pessoas.

A origem das festividades do Natal em 25 de dezembro, segundo estudiosos, no princípio, marcava a celebração de uma festa pagã chamada “Natalis Solis Invieti” (Nascimento do Sol Invencível), em homenagem ao Deus Mitra da religião persa. No ano de 440 D.C., foi fixada a data para marcar o nascimento de Jesus. A figura do Papai Noel, é considerada um símbolo moderno do Natal, que segundo os pesquisadores e historiadores, foi inspirada em São Nicolau. Nascido em 280 D.C. na Vila de Patras, na época pertencente à Grécia, hoje costa sul da Turquia, São Nicolau era filho de pais ricos, que morreram quando ele era ainda jovem. Muito fiel aos ensinamentos da fé cristã, Nicolau doou sua riqueza aos pobres, miseráveis, doentes e necessitados, dedicando sua vida para servir a Deus, tornou-se bispo de Myra e ficou conhecido por todo o País por sua generosidade com os pobres e crianças. A associação da imagem de São Nicolau com o Papai Noel aconteceu na Alemanha e espalhou-se pelo mundo. Nos Estados Unidos ganhou o nome de Santo Claus, no Brasil de Papai Noel e em Portugal de Pai Natal. Até o final do século XIX, o Papai Noel era apresentado com roupas de inverno de cor marrom ou verde escuro, sendo que só em 1.886, foi que o cartunista Thomas Nast, criou a imagem que conhecemos hoje, do bom velhinho vestido de vermelho e branco, com cinto e botas pretas. No ano de 1.931, em uma campanha publicitária da Coca-Cola, mostrou o Papai-Noel com o mesmo figurino criado por Nast, que também representava as cores do refrigerante. A campanha fez tanto sucesso que caiu no gosto das pessoas, e, hoje o Papai Noel é muito mais lembrado e popular que São Nicolau. (www.suapesquisa.com)

O simbolismo do Natal hoje, tem sido associado muito mais as festas, presentes, Papai Noel e ao comércio de maneira geral. As pessoas estão deixando de lado o verdadeiro espírito natalino que deveríamos preservar, comemorando o nascimento de Jesus, a fraternidade e amor entre os povos, a família em especial. Outro dia recebi um destes vídeos, em um grupo do Watts, que me chamou a atenção e exemplifica bem o que tem acontecido com a maioria das pessoas nos dias de hoje: Um velhinho recebe telegramas de seus filhos, todos aparentemente muito bem sucedidos profissionalmente, dizendo-lhe que infelizmente não poderiam passar o Natal com ele novamente naquele ano, mas que assim que tivessem um “tempinho” em suas agitadas e lotadas agendas, iriam vê-lo. O pai, idoso e solitário, ficou muito triste e mandou um telegrama aos filhos com uma falsa nota de falecimento e convite para enterro dele mesmo. Ao receberem a triste notícia, todos os filhos ficaram consternados e imediatamente trataram de ir ao velório do pai, que seria em sua residência. Ao chegarem à casa do pai, todos muito tristes, lamentando não terem passado a última Seia de Natal com seu pai, eis que surge ele com um olhar de moleque arteiro dizendo: “é só assim para que eu possa reunir vocês comigo em uma Seia de Natal”? A emoção tomou conta de todos, que abraçaram-se em meio as lágrimas e pedidos de desculpas e felicitações. Esta atitude de um pai que sentia a falta da família junto dele, demonstra o quanto a sociedade está carente de amor e fraternidade. O quanto que as pessoas estão frias e solitárias, sem a presença da família e de Deus em seus corações.

Precisamos resgatar a essência do Natal em nossas vidas. Valorizar a família, as boas amizades, o amor, fraternidade e paz entre os povos. Precisamos resgatar a presença de Deus no Natal, priorizando abraços a presentes, dando aquilo que é de mais valioso para as pessoas que amamos e que nos amam, o carinho, a atenção, a alegria e a presença, que para você, não custa nada, mas para quem recebe, tem um valor imensurável.

“Bendita seja a data que une a todo mundo numa conspiração de amor”. Hamilton Wright Mabi


Leia Também Investimento Externo: Não adianta querer igualar as condições de vida dos países sem igualar as medidas que levaram países desenvolvidos ao sucesso (a quinta lição) Em outubro, União transferiu R$ 873 milhões de complementação ao FUNDEB Prisão, prêmio e punição Faltam dois jogos para a Ouro